Como proteger seu cão dos principais tipos de carrapato? Esses parasitas são um verdadeiro pesadelo dos tutores quando se instalam em seus cães, trazendo grande dor-de-cabeça para todo mundo na família!

Em primeiro lugar, ao contrário do que muitas pessoas podem pensar, vamos entender que existe mais que um tipo de carrapato. Todos eles são uma praga e causam doenças, aflições e incômodos nos cães, porém existem vários tipos.

Esses diversos tipos de carrapatos diferentes podem ser mais comuns em animais domésticos ou em animais que vivem em fazendas, por exemplo.

Alguns deles, inclusive, podem atingir os humanos, transmitindo doenças graves, como a doença de Lyme.

Para que você saiba como se proteger e como proteger seu cão, preparamos um artigo completo sobre esses parasitas, com todas as informações básicas que você precisa saber sobre os carrapatos.

Boa leitura!

Como proteger seu cão
Filhote de Jack russell coçando sua perna. Crédito da foto: Freepik

O que são carrapatos e como proteger seu cão

Carrapatos são parasitas parentes das aranhas, possuem oito patas, que botam ovos no seu animal de estimação e se alimentam do sangue dele.

A espécie mais comum no Brasil é Rhipicephalus sanguineus também é chamado de carrapato do cão urbano porque se reproduz e vive dentro de construções e ambientes domésticos, o que lhe permite estar presente em praticamente todas as áreas urbanas do Brasil.

Durante o ciclo de vida do carrapato (larva, ninfa e adulto), ele passa apenas alguns dias se alimentando no cão, para depois de desprender dele e se esconder no ambiente, como frestas na parede, batente ou atrás de outros móveis.

Por que os carrapatos são um perigo para os cães?

As picadas de carrapatos são irritantes, especialmente para cães que têm alergia e podem deixar os cães muito doentes.

Como eles sugam o sangue, em alguns casos, uma grande infestação de carrapatos pode levar à anemia, uma doença que causa letargia e pode exigir uma transfusão de sangue em casos graves.

Erliquiose

Transmitida pela picada de um carrapato infectado, causada pela bactéria do gênero Ehrlichia ssp, a Erliquiose é uma doença infecciosa grave. Alguns dos sintomas são febre, perda de apetite, perda de peso e vômito.

Babesiose

Causada por um protozoário, a Babesia canis, a Babesiose é uma doença transmitida pela picada de um carrapato infectado. Ela invade os glóbulos vermelhos dos cães e se multiplica, rompendo-os. Febre e anemia são os principais sintomas.

Hepatozoonose

É uma doença transmitida por carrapatos, causada por um protozoário do gênero Hepatozoon ssp e pode causar febre, perda de peso, fraqueza dos membros posteriores e debilidade crônica.

Borreliose

Também conhecida como doença de Lyme, causada por uma bactéria do gênero Borrelia, provoca irritação na pele, geralmente em forma de alvo, e sintomas semelhantes aos da gripe.

Todas essas doenças podem levar o animal à morte dependendo de cada caso.

Como proteger seu cão
Cão sentado se coçando na grama, ao ar livre. Crédito da foto: Freepik

Carrapato: um nome para muitas espécies

Muitas pessoas acreditam que só é possível encontrar carrapatos em cavalos, bois e animais domésticos. Isso não é verdade, ou seja, não existe apenas o carrapato de cachorro ou de outros animais. Esses parasitas também podem buscar seu alimento em humanos.

Quem já passou pela experiência desagradável de ter um carrapato-estrela no próprio corpo deve se lembrar de como ele é pequeno, lembrando uma pinta.

Por outro lado, se você já viu um boi com infestação de carrapatos, deve ter percebido que os parasitas são grandes e podem ser vistos à distância.

Biologicamente, ambos pertencem à mesma classe (Acarina) e ordem (Ixodida). No entanto, a diferença é explicada por se tratarem de espécies diferentes de carrapato. Isso mesmo! Ao todo, já foram catalogados mais de 800 tipos de carrapatos.

Além de apresentarem diferenças físicas, cada espécie tem preferência por se hospedar em determinado animal, que pode ser mamífero, ave e até réptil ou anfíbio. Prova disso é a história da pobre cobra Nike, encontrada na região de Queensland, na Austrália, com mais de 500 carrapatos no corpo.

Principais tipos de carrapatos em cães

Normalmente, associamos o parasita que se hospeda nos cães ao carrapato comum, mas será que ele é realmente o mais famoso entre as espécies?

Embora algumas sejam mais conhecidas do que outras, todas as doenças transmitidas por carrapatos devem ser levadas a sério. Por isso, caso encontre um parasita no seu filho de quatro patas, o ideal é procurar um veterinário.

Além de fazer uma avaliação clínica, ele também poderá indicar a melhor forma de retirar os parasitas e prevenir carrapatos no seu pet.

Saiba quais são os principais tipos de carrapatos que transmitem doenças e veja como proteger seu cão.

Rhipicephalus sanguineus (carrapato-vermelho-do-cão)

Como o nome popular sugere, o carrapato-vermelho-do-cão é a espécie mais comumente encontrada nos cachorros. Além disso, ela também é típica de áreas urbanas.

Essa espécie está presente na lista dos tipos de carrapatos perigosos para os peludos, pois, além de causar desconforto, é transmissora das doenças babesiose, erliquiose e anaplasmose.

Amblyomma cajennense (carrapato-estrela)

Também conhecida como carrapato do cavalo, essa espécie de parasita é mais frequente fora de centros urbanos, em locais de vasta vegetação.

A principal doença transmitida por ele é a doença de Lyme ou febre maculosa (popularmente chamada de doença do carrapato), que também afeta os seres humanos.

Como proteger seu cão
Close up of American dog tick crawling animal fur. These arachnids a most active in spring and can be careers of Lyme disease or encephalitis. Nobody

Carrapato de cachorro pega em humano?

Essa é uma preocupação muito comum entre tutores que, em algum momento, encontram um carrapato na pele do peludo. Pois saiba que a resposta é sim. Da mesma forma que o carrapato-estrela, mais comum em cavalos, pode parasitar os cachorros, ele também pode ser visto em humanos.

E o mesmo vale para o carrapato-vermelho-do-cão. A preferência é por parasitar cães, porém, em áreas com grandes infestações, pode ocorrer parasitismo em humanos.

Como proteger seu cão dos temidos carrapatos?

Para muitos tutores que vivem em centros urbanos, carrapatos são vistos como algo com o que eles devem se preocupar somente em caso de viagens para chácaras, sítios e afins.

Mas, como comentamos, os tipos de carrapatos mais comuns nos cães é, na verdade, bastante cosmopolita, sendo facilmente encontrados nas grandes cidades.

Para agravar a situação, esses parasitas estão na lista dos tipos de carrapatos que transmitem doenças que, se não receberem o tratamento correto, podem levar à morte.

Sendo assim, é recomendável que você mantenha o seu cãozinho protegido, mesmo que não tenha o costume de viajar para áreas de densa vegetação. Para isso, é adequado que o seu pet faça uso contínuo de antiparasitários.

É importante que você confira com o médico-veterinário responsável pelo seu cãozinho qual o tratamento antiparasitário mais adequado para o seu peludo.

Além de manter a saúde do seu amigo em dia, você o mantém longe dos diversos tipos de carrapatos.

Como proteger seu cão
Médica veterinária cuidando de um cão em seu consultório. Crédito da foto: Freepik

Como proteger seu cão dos carrapatos? 5 dicas para evitar!

Como todos os parasitas, prevenir é melhor do que remediar. Siga estas dicas de prevenção de carrapatos em cães e você ajudará a protegê-lo contra as doenças transmitidas pelo carrapato.

Como proteger seu cão – 1. Proteja-se durante os passeios

Em primeiro lugar, ideal é que você evite a visita a locais com carrapatos. Caso não seja possível e esteja caminhando em áreas onde há probabilidade de ter carrapatos, lembre-se de se vestir adequadamente, para não pegar carrapatos e não colocar seu pet em risco também.

Você deve cobrir a pele para evitar picadas E usar calças e meias para que seus tornozelos fiquem cobertos. Sempre confira se há carrapatos no seu corpo após os passeios.

Escolha com rigor o pet shop ou hotel para seu cão. Dê preferência para estabelecimentos que se preocupam e tenham programas preventivos de infestação por carrapatos.

Se seu cão faz uso de transporte terceirizado para pet shops, procure saber se tratamentos preventivos são realizados no veículo, pois este também pode ser uma fonte de carrapatos para seu cão.

2. Cheque regularmente seu animal

Assim como você deve evitar locais com contaminação, caso tenha saído para passear, pode ser uma boa ideia examinar seu animal cuidadosamente quando chegar, pois os carrapatos podem ter se agarrado a ele no caminho.

Seja metódico: olhe cada perna, começando nas patas, e depois confira o corpo, da cauda até o focinho, não esquecendo a virilha.

Preste bastante atenção à cabeça, orelhas, parte interna das orelhas, pernas, e a região entre os dedos, pois é comum que eles estejam alojados nessas regiões. E observe também se há carrapatos ao repartir o pelo no sentido do crescimento e contra ele.

Caso encontre o parasita, certifique-se de investigar cuidadosamente sem tocá-lo diretamente.

Se você não sabe como remover sem ferir a pele do seu cão ou sente-se inseguro, procure auxílio médico veterinário.

Como proteger seu cão – 3. Escolha um método de prevenção adequado

Existem várias formas de tratamento e prevenção contra carrapatos, por exemplo: spot-ons, comprimidos, sprays e coleiras.

Alguns tratamentos matam os carrapatos; outros podem ser usados para prevenção, eliminando e matando-os. Os produtos agem de diferentes formas, então você pode discutir isso com seu médico veterinário para ver o que é mais indicado para o seu cão.

Alguns produtos, como medicamentos orais (comprimidos), são ativados na corrente sanguínea, então matam os carrapatos uma vez que eles comecem a se alimentar.

Alguns produtos são tópicos (aplicados diretamente à pele), absorvidos pelo organismo e depois ficam ativos na corrente sanguínea.

Outros se espalham pela pele e ficam ativos somente na superfície.

Os produtos tópicos agem por contato, o que significa que os parasitas não precisam picar o animal para que o produto tenha o efeito desejado.

Os parasitas morrem depois que entram em contato com o animal protegido com o produto.

O benefício desse modo de ação não só reduz o risco das picadas, mas também reduz o risco de transmissão de doenças e alergias.

Antes de tratar o seu animal, sempre confira a data de validade dos produtos que guardou por um tempo. Se a validade tiver passado, o produto pode perder a eficácia.

Também vale a pena descobrir com o seu médico veterinário quais produtos são recomendados para melhores resultados.

Não importa o tratamento que escolher, é importante utilizá-lo regularmente para ajudar a manter o cachorro protegido a longo prazo.

Confira aqui quais os melhores remédios para pulgas e carrapatos.

Doença do carrapato: Como proteger seu cão dos tipos?
Carrapato em um vidrinho transparente, em laboratório para estudo. Crédito da foto: Freepik

Como proteger seu cão dos temidos carrapatos?

4. Evite o uso de móveis que podem se tornar abrigo para os carrapatos

Evite casinhas de madeira pois possuem muitas frestas que servirão de esconderijos para os carrapatos. Dê preferência para as casinhas de fibra ou plástico liso.

5. Proteger o ambiente com produtos específicos

Infelizmente produtos comuns de limpeza não eliminam carrapatos.

Por esse motivo, ao notar a presença desse parasita em sua residência, providencie a limpeza do local com produtos específicos carrapaticidas para o ambiente.

Em muitos casos, é preciso contratar empresas de dedetização especializadas nessa remoção!

Esperamos que esse artigo tenha sido útil para você e te ajude a prevenir e controlar esses bichinhos tão chatos e perigosos.

Agora que você já aprendeu a como proteger seu cão desses parasitas, leia também sobre:

Até a próxima, continue acompanhando o Web Cachorros.

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here