Assim como os seres humanos, os cachorros podem ter alguns problemas de saúde. Dentre eles estão os problemas com as glândulas adanais em cães.

Talvez você não conheça por esse nome, mas certamente já viu seu cão arrastando o bumbum no chão ou lambendo a região anal.

Pois é! E quando essas glândulas se inflamam ou infeccionam, elas se rompem e drenam pus e sangue, causando muita dor no animal.

Glândulas Adanais em cães: Ao longo deste artigo, vamos ver as principais causas e também como tratar esse problema. Boa leitura!

Glândulas Adanais em cães: Como tratar esse problema
Cachorro Beagle sentado em fundo branco. Crédito da foto: Freepik

Glândulas Adanais em cães: Mas, afinal, o que são e pra que servem as glândulas adanais?

As glândulas adanais são “saquinhos” que ficam dentro do reto, na porção final do intestino dos cães e gatos.

Essas glândulas secretam uma quantidade pequena de líquido que contém feromônios e informações sobre o animal. A passagem das fezes mais duras, que são as normais, massageia naturalmente essas glândulas, liberando uma camada dessa secreção sobre as fezes.

Esse é o motivo pelo qual os cães e gatos gostam tanto de cheirar as fezes uns dos outros, assim como cheirar os bumbuns de outros animais, pois é uma forma de se cumprimentarem e se reconhecerem. Eles estão, na verdade, colhendo as informações pessoais contidas nesses marcadores bioquímicos.

Glândulas Adanais em cães: Como saber se as glândulas estão incomodando?

Para saber se as glândulas estão incomodando seu pet, observe se ele anda arrastando o bumbum no chão com muita frequência ou está apresentando dificuldade para defecar, bem como se ele chora ou aparenta dor. Você também pode observar se está saindo algum líquido da região ou se ela está inflamada. Às vezes, sai líquido e até mesmo sangue.

Se ele apresenta esses sintomas, então é possível que ele esteja com a glândula anal, ou saco anal, inflamada ou infeccionada.

Normalmente, esse processo de inflamação dói bastante então certamente o dono irá perceber. Existem alguns cães que possuem uma predisposição genética para o problema, que deve ser cuidado durante toda a sua vida.

Pode ser também por causa de outros fatores como a alimentação ou até algum efeito físico externo.

Glândulas Adanais em cães: Como tratar esse problema?

Caso a glândula esteja realmente inflamando, é recomendável em alguns casos que a limpeza da glândula seja feita rotineiramente a cada banho, mas por uma pessoa que saiba fazer corretamente essa limpeza, pois se fizer de modo inadequado pode piorar a inflamação.

Por isso, caso o tutor não saiba fazer esse procedimento, é recomendado que ele procure um médico veterinário. Provavelmente, ele irá indicar um tratamento com medicamento (como antibióticos e anti-inflamatórios) para aliviar a dor e atuar na desinflamação do local, bem como a manutenção com os banhos periódicos. Em casos agudos é necessário realizar cirurgia.

Glândulas Adanais em cães: Por isso, visitar um profissional é essencial para que ele avalie o caso do seu animal e possa indicar o tratamento mais adequado.

Glândulas Adanais em cães: Como tratar esse problema
Veterinária verificando a saúde de Yorkshire. Crédito da foto: Freepik

Lembrando que as glândulas adanais que não estão incomodando, ou seja, que não estão gerando sintomas, não devem ser espremidas.

Há profissionais que espremem as glândulas dos pets durante banhos em pet shops de forma rotineira, porém esta prática não é recomendável de maneira geral.

Isso porque as glândulas possuem um delicado e fino ducto que conduz a secreção até o ânus e ficar espremendo essas glândulas pode gerar um trauma constante nos ductos, causando a perda do tônus natural e da autonomia do pet em conseguir espremer suas próprias glândulas de maneira natural.

Glândulas Adanais em cães: Como tratar esse problema
Cão pequinês com estetoscópio ao lado. Fundo branco. Crédito da foto: Freepik

Glândulas Adanais em cães: O que fazer, então?

Como dissemos anteriormente, leve o seu pet a um veterinário de sua confiança para que ele investigue a causa de base para o quadro constante de impactação e inflamação das glândulas adanais.

Alguns problemas intestinais, como verminose, intolerância alimentar, alergias e insuficiência pancreática exócrina, pode mexer com as glândulas e deixar as fezes amolecidas.

Por isso, dê ao seu pet uma alimentação balanceada e equilibrada, com menos carboidratos e mais fibras. Alguns alimentos ricos em fibra são: alface, polpa de beterraba, abóbora, brócolis, farelo de trigo, maçã, lentilha, cenoura, arroz integral, vagens verdes e até mesmo rações que contenham fibras.

Tente também outras alternativas como: Homeopatia, fitoterápicos destoxificantes (spirulina, clorella, dente-de-leão) e nutracêuticos anti-inflamatórios (como Boswelia serratta e curcumina).

Agora que você já sabe as principais causas e como tratar as glândulas adanais em cães, aprenda também a identificar as dores nos seu cãozinho e como agir. E veja aqui outros legumes e verduras permitidos para cães.

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here