Existem muitos cães bagunceiros, destruidores e hiperativos. Reconheceu seu pet aí? Pois é, muitos cães são assim, mas por que será?

A verdade é que a agitação excessiva e as atitudes destrutivas (mania de morder móveis e objetos do tutor), podem ser sinais de que o pet não está bem e pode sofrer de ansiedade canina.

A Síndrome de Ansiedade de Separação (SAS) é uma doença que os cães podem desenvolver por excesso de apego ao dono ou por falta de estímulos (brincadeiras e exercícios) – ou os dois!

Com isso, o pet começa a apresentar sintomas como lamber excessivamente as patas, latir quando está sozinho, destruir móveis e objetos pessoais do tutor, fazer suas necessidades em lugar errado, entre outros.

Se seus animais estão lhe dando certo trabalho por serem muito bagunceiros, veja só o que você pode fazer para acalmar esses peludinhos. Boa leitura!

cães bagunceiros
Cão Beagle latindo. Fundo cinza. Crédito da foto: Freepik

Como lidar com cães bagunceiros? Veja o que fazer!

Cães bagunceiros: Saiba o que fazer se você possui cães bagunceiros em sua casa, mas não sabe muito bem como lidar com essas figurinhas.

Em outras palavras: cachorro entediado é um perigo! Cachorro feliz é cachorro cansado! Pode reparar que eles ficam com uma expressão muito mais feliz quando saem para passear.

Então a nossa primeira dica é: saia para passear com seu cão com frequência – se possível, diariamente! E brinque com ele todos os dias também, nem que seja para jogar a bolinha do sofá e ele correr para buscar.

Sabemos que cães bagunceiros são amigos muito divertidos na hora de brincar mas, para quem convive diariamente com um pet muito agitado, a animação constante pode trazer questões complicadas.

Não é incomum que os donos de cães bagunceiros cheguem em casa e se deparem com um cenário de bagunça, como: objetos espalhados pelo chão, roupas reviradas, sapatos comidos.

Os pets hiperativos pulam, correm, latem e ficam elétricos por certo tempo a cada vez que a campainha da casa toca ou uma visita aparece. É assim aí na sua casa? Então veja o que fazer a seguir!

cães bagunceiros
Yorkshire deitado em tapete, ao lado de vaso de plantas derrubado. Mulher limpando atrás. Crédito da foto: Freepik

Cães bagunceiros – Como lidar com cães bagunceiros?

Cães bagunceiros: A verdade é que é normal os filhotes serem mais bagunceiros e saírem mordendo tudo pela frente, isso tende a melhorar quando crescem.

Então, muitas baguncinhas podem ser feitas só para brincar ou chamar a atenção, e há uma série de técnicas simples para amenizar a agitação do cão e determinar limites para ele.

Os problemas começam, justamente, quando a agitação do animal ultrapassa a alegria pontual de encontrar com seu dono.

Enquanto os pets mais calmos precisam de apenas alguns minutinhos de brincadeiras para que o comportamento agitado seja amenizado, os mais ativos parecem ter uma pilha infinita (e que precisa ser gasta).

Muitos cães assim não deixam os donos fazer nenhum tipo de atividade, nem mesmo colocar as roupas no varal, por exemplo. Querem atenção o tempo todo, dificultando até as tarefas mais simples de seus tutores.

Isso faz com que muitos donos de cães assim acabam recorrendo ao confinamento do animal em algum ambiente da casa, para poderem ter algum tempo de sossego.

No entanto, o que é usado como solução, na maioria das vezes, intensifica o problema – já que, quanto mais os cachorros ficam presos, mais vontade eles têm de sair de onde estão, correr e brincar. E mais desesperados ficam!

Afinal, todos estes comportamentos podem parecer fofos e engraçado em vídeos da internet, mas a verdade é que toda essa animação pode ter motivações relacionadas a diferentes fatores (a maioria psicológicos).

Eles podem tanto exigir um adestramento mais focado como tratamentos específicos para diferentes síndromes caninas, como brincar mais com ele, passar mais tempo ao seu lado, contratar um pet walker caso não tenha tempo de passear com ele, a até florais ou medicamentos. Veja a seguir:

Cães bagunceiros – Crie independência no pet

Cães bagunceiros: Desde cedo é importante deixar o pet acostumado a ficar bem sozinho. Mas isso não significa que ele deve ficar esperando o tutor voltar do trabalho sem fazer nada.

O enriquecimento ambiental é fundamental para que o peludo não fique entediado. Além de exercitar o pet, ajuda a propor desafios mentais.

Existem brinquedos específicos para isso no mercado, mas algumas coisas podem ser improvisadas em casa como: oferecer uma garrafa pet com petiscos dentro para que ele tenha que tirá-los para comer, dar um coco verde para que ele possa destruir e esconder petiscos pelos locais da casa onde o pet pode ir.

Cães bagunceiros – Adestre seu cão quando necessário

Cães bagunceiros: É uma opção para quem quer mostrar ao pet os limites da convivência. Impor limites é fundamental para que o cão aprenda a lidar com frustrações do dia a dia.

Para ele, ficar sem o tutor é uma dessas situações. Ensinando comandos básicos, como “fica” e “senta”, por exemplo, ajudará o peludo a lidar melhor com tudo isso.

As técnicas mais básicas de adestramento devem ser postas em prática logo de cara, pois, embora a animação seja grande, os cães são muito inteligentes, e costumam responder rápido a treinamentos quando estes são administrados da maneira correta.

A velha técnica de recompensar o animal quando ele obedece a um comando e dar uma bronca quando ele não é obediente ainda é a mais simples e eficiente, e pode ser realizada com a ajuda de produtos disponíveis no mercado pet.

Loções e sprays próprios para o adestramento de cães (que soltam um gosto amargo na boca do animal, dando uma sensação ruim) podem ser encontrados facilmente em pet shops, e funcionam bem como maneira reprimir as desobediências caninas.

Contudo, sempre consulte um veterinário antes de fazer uso de qualquer tipo de produto no seu pet.

O importante para que o cão processe a informação é que seu dono deixe bem claro quais são os tipos de comportamento corretos e os equivocados.

Para recompensar as ações positivas do pet, faça muito carinho, afagos, palavras de incentivo e dê petiscos.

cães bagunceiros
Cão sentado na sala, com folhas picadas de papel ao lado, e um aspirador de pó atrás. Crédito da foto: Freepik

Faça brincadeiras constantemente com seu cão

Cães bagunceiros: É uma outra forma super bem-vinda de incentivar o cão a praticar exercícios. Neste caso, vale de tudo: jogar bolinha para ele ir buscar, esconder brinquedos ou petiscos para ele buscar, fazer cabo de guerra (com cuidado, claro!) ou até brincar de pega-pega com ele!

Além disso, investir na compra de brinquedos interativos pode ser uma boa opção; já que este tipo de atividade pode entreter um cão por horas e ser um ótimo meio de gastar bastante energia.

Tenha uma rotina de passeios e atividades diárias

Cães bagunceiros: Gastar energia é fundamental. Por isso, ofereça uma rotina de passeios ao cachorro, para que ele possa gastar toda a sua energia, já que esse é outro fator extremamente relevante para diminuir os níveis de agitação dele.

E, além das brincadeiras usuais em casa, caminhadas e corridas por parques e outros locais abertos também são indicados como forma de acalmar os ânimos dos cães bagunceiros.

O indicado é que você possa separar um pouco do seu tempo e levar seu pet para passear na rua diariamente, por pelo menos 40 minutos.

Longas caminhadas aumentam a produção de hormônios que dão sensação de bem-estar. Além disso, ajuda a manter a forma, evitando o ganho de peso.

Se você não tem tempo, em último caso contrate um pet walker para sair com seu cão, muitos fecham pacotes semanais e mensais de passeios. Melhor que manter seu pet fechado em casa todos os dias, certo?

Resumindo, mantenha uma rotina de passeios e atividades diárias para o seu cão. 

Relembrando que a contratação de um adestrador especializado não fica de fora das possíveis soluções, e pode ajudar a acelerar o processo de aprendizado e melhoria do comportamento do pet.

Como saber quais são os cães bagunceiros?

Cães bagunceiros: Para os que ainda vão adotar ou comprar um cão e desejam evitar qualquer uma dessas medidas, a prevenção da bagunça deve começar antes de levar o animal para casa: na hora da escolha da raça do seu cãozinho de estimação.

A maioria das raças de cães tem características e personalidades bem definidas, assim como seus níveis de energia.

Portanto, quem deseja ter um animal em casa deve optar por um filhote que tenha uma “média de animação” mais próxima da sua (ou menor), já que os cachorros muito agitados que vivem com pessoas desanimadas podem, além de precisar de adestramento, ficar doentes em função do sentimento de pouca atenção que recebem de seus donos.

Então, é super importante que você escolhe uma raça de cão que seja parecida com o seu estilo de vida e ritmo! Se você é mais parado, não é muito fã de exercícios e nem de sair, escolha um cão com nível de energia baixo a médio, como os cães de companhia.

Mas, se você é uma pessoa que adora fazer atividades ao ar livre, passear e se exercitar, escolha um cão que seja ativo igual você e adore correr também, assim ele poderá te acompanhar e vice-versa!

Como lidar com cães bagunceiros? Veja o que fazer!
Cão da raça Border Collie deitado em sofá de barriga para cima, pedindo carinho. Folhas de papel picado em volta dele. Crédito da foto: Freepik

Diagnóstico da bagunça canina

Cães bagunceiros: Quando todo tipo de treinamento e passeio não adiantam, é hora de investigar o que se passa com o cão em questão. Para isso, a consulta do pet com um médico veterinário é a única solução.

Podendo passar por apenas mais um cachorro muito animado, o pet com hiperatividade não pode ser controlado e ensinado com a mesma facilidade dos demais, já que a agitação e falta de concentração são tão grandes que até adestradores podem ter dificuldade em dar os comandos mais básicos.

É comum que os proprietários de cães com hiperatividade creiam que a agitação fora do normal de seus pets existe por ainda serem filhotes ou não adestrados.

No entanto, esse quadro não melhora ao longo dos anos, e é só quando se aproximam da fase adulta que a maioria dos animais hiperativos é notada como tal.

Comportamentos agressivos, automutilação, destruição de objetos e móveis da casa e correr constantemente em círculos são sinais bastante característicos do comportamento de cães que se encaixam no perfil.

E, assim como nos casos dos cães mais agitados mas não hiperativos, os exercícios também estão entre as principais indicações para baixar o nível de agitação do animal.

Podendo ter diversas possibilidades de causa (como fatores genéticos e até hormonais – incluindo o hipertireoidismo, por exemplo), a hiperatividade em cães só pode ser diagnosticada por um profissional, que precisará realizar exames clínicos – e, em boa parte dos casos, laboratoriais – para definir o problema com certeza.

Relativamente comum, o quadro já conta, inclusive, com exames específicos para o seu diagnóstico, que incluem a administração de medicamentos ao pet e a observação de seu comportamento em um ambiente preparado.

Constatada a hiperatividade canina, caberá ao médico veterinário definir as melhores formas de tratamento, que são elaboradas de acordo com o grau e a quantidade de sintomas apresentadas pelo animal.

A administração de remédios homeopáticos (como os famosos florais de Bach) está entre as principais indicações nestes casos, e seus resultados tem sido bastante satisfatórios em tratamentos do tipo.

acupuntura para cachorros também pode ser uma boa maneira de ajudar o pet a se acalmar, além de também poder ser indicada como um complemento no processo do controle da hiperatividade canina.

Medicamentos alopáticos também podem ser prescritos para casos mais graves – como quando o animal pratica a automutilação – e, assim como todos os tipos de medicação, só podem ser dados aos pets com a recomendação de um profissional, pois, por serem muito agressivos, podem causar malefícios aos cães quando administrados sem necessidade ou de maneira incorreta.

Eles podem tomar também remédios de manipulação, que são mais naturais, como os florais de Bach. Existe diversas opções, para síndrome do abandono, medo, hiperatividade, ansiedade, depressão, entre muitos outros.

Cães bagunceiros – Origens dos Florais de Bach

Os florais foram inventados em 1930 pelo médico britânico Edward Bach, muito conhecido por estudar as flores, seus efeitos e propriedades. Sua intenção era buscar uma medicina que auxiliasse a saúde emocional.

Assim, separou 38 flores que auxiliavam em diversos estados emocionais, como tristeza, timidez e ansiedade.

Além de serem benéficos para humanos, os florais de Bach podem funcionar em cachorros e em outros pets, auxiliando na saúde dos peludinhos também.

Mas lembre-se que o tratamento também deve ser acompanhado de uma rotina saudável, com alimentação balanceada, exercícios e muita brincadeira.

Em casos de problema de comportamento, o ideal é que o uso de florais seja acompanhado de adestramento, como mencionamos acima.

cães bagunceiros
Grupo de cães em volta de uma poltrona vermelha destruída. Crédito da foto: Freepik

Cães bagunceiros: siga as dicas acima para amenizar o problema

Cães bagunceiros: Seguindo todos os passos acima, temos certeza de que você conseguirá lidar melhor com cães bagunceiros, que nem sempre são fáceis, mas com as práticas acima, será muito mais fácil.

Lembre-se de adestrá-lo se preciso, além de sair para passear diariamente, fazer brincadeiras e dar atenção à ele. Caso precise, vá a um veterinário para que ele possa passar algum medicamento que ajude também.

Esperamos que tenha gostado desse artigo, continue acompanhando o nosso blog e até a próxima!

Leia também:

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here