Shar Pei

Quem já viu um cãozinho desses sabe como ele é fofo e dá vontade de não soltar nunca mais. A sua pele solta e cheia de dobras faz desse animal ser único entre os cães e por isso chama a atenção de tantas pessoas. Ele tem a sua origem em aldeias chinesas e recebeu esse nome um tanto estranho por causa do seu pelo, que é curto, duro e eriçado. Shar Pei, em chinês, significa pele de areia ou pele de lixa. Mas não se engane com as suas belas características, pois o seu temperamento pode ser um grande desafio para os donos, principalmente para os que são inexperientes.

Informações

  • País de Origem: China;
  • Outro nome: Cão de Briga Chinês;
  • Tamanho da Raça: a altura fica entre 46 e 51 cm e o peso vai de 10 até 20 kg;
  • Pelagem: curta, grossa e eriçada;
  • Coloração: cores mais homogêneas como o preto, vermelho-mogno, fulvo-avermelhado, areia, creme ártico e azul;
  • Temperamento: calmo e independente;
  • Ranking de inteligência: 51ª posição;
  • Expectativa de vida: entre 8 e 10 anos;
  • Preço do Shar Pei: vai de R$ 1.000 até R$ 1.600;

Curiosidades sobre a raça

  • O Shar-Pei já foi um animal de guarda e lutador de boxe. Hoje ele é principalmente um companheiro, embora mantenha a resistência ao combate. Ele tende a ser agressivo com outros cães ou pessoas, então é imperativo que seja socializado e treinado desde cedo;
  • Devido ao seu nariz curto, a raça é propensa ao superaquecimento. Portanto, se mantido dentro de casa durante os meses quentes de verão, que seja com ventiladores ou ar condicionado;
  • Como outros cães de porte médios, ele, em geral, ronca e chia, tal como um humano;
  • Como o Chow-Chow, o Shar-Pei tem uma língua escura. Isso é considerado normal, até mesmo desejável, por entusiastas de cães;
  • Quando a raça estava sendo aperfeiçoada, a pele áspera era adicionada como um meio de proteção. A textura eriçada criaria uma sensação desagradável na boca de um inimigo ao ser mordida. A pegada, assim, se tornaria (esperançosamente) mais fraca;
  • O nome Shar-Pei quer dizer pele de areia, porque seu pêlo se parece com uma lixa;
  • Acredita-se que esta raça antiga se originou na província de Kwangtung e viveu durante séculos nas províncias do sul da China desde a dinastia Han (c. 200 aC). Artefatos com uma grande semelhança com a raça foram descobertos e datados deste período.

Origem do Shar Pei

Não há confirmação, mas alguns historiadores datam o Shar Pei de 200 a.C., na Dinastia Han e seu local de origem seja de pequenas aldeias que ficavam ao redor do mar da China Oriental. Mas, alguns em documentos que datam do século XIII, é possível verificar a descrição de um cão muito parecido com o Shar Pei. Ainda não foi possível identificar com precisão quem são os seus ancestrais. Alguns dizem que eles são o resultado dos cruzamentos entre Mastins com outras raças nórdicas, outros, que pela sua língua azul igual ao do Chow Chow, acreditam que este seja um dos ancestrais do Shar Pei.

Depois que a China se tornou comunista, muitos documentos desapareceram, inclusive muitos que descreviam a participação da raça na vida dos povos. Após essa época, o Shar Pei por muito pouco não foi extinto por completo e graças a Hong Kong que abriu canais para a passagem desses cães, os cães não desapareceram. Foi nessa cidade que o Kennel Club reconheceu a raça no ano de 1968 e apenas alguns conseguiram chegar ao continente americano.

Por causa disso, os cães ficaram escassos e se tornaram muito raros, o que fez com que muitos ricos e famílias nobres quisessem um exemplar para exibir. É a básica lei da Oferta e Procura. E assim, o Shar Pei ficou extremamente popular e ter um se tornou símbolo de status e luxo.

Características do Shar Pei

A principal e mais marcante característica dessa raça são as suas dobras por todo o corpo. Quando filhotes, elas aparecem apenas nas patas e no tronco, mas depois que se tornam adultos é possível vê-las também no pescoço e na cabeça.

Os olhos são de tonalidade escura e amendoada e os pelos podem ser encontrados nas cores preta, areia, avermelhado, castanho e até mesmo azulado.

O seu tamanho é de um cão com porte mediano sendo que a sua altura pode chegar a 51 cm e o seu peso varia entre 10 e 20 kg, tanto para os machos como para as fêmeas. Outra característica que chama bastante a atenção é a sua língua com cor azul como o Chow Chow.

Existem cães da raça Shar Pei em diversas cores, entretanto, em uma só tonalidade e não branca. Não há Sharpei de duas cores ou mais. O mais comum é o de tom ouro, assim como o mais procurado é o de pelagem chocolate.

Temperamento do Shar Pei

Duas características em seu temperamento, estar sempre alerta e ser fiel, levou o Shar Pei a realizar várias funções em outras épocas como: cão de guarda, cão de pastoreio, cão de caça de animais grandes como javalis e até rastreamento.

Um triste fato é que, por causa de sua mordida extremamente potente e de seu porte físico, muitos donos criavam esses cães com o objetivo específico para participar de brigas. Um ponto positivo é que eles acabam desenvolvendo uma grande devoção ao seu dono o que faz dessa raça excelente cão de companhia.

Inteligência e obediência do Shar Pei

É essencial treinamento precoce para o decidido e forte Shar-Pei. Ele necessita de um tutor que tenha condições de estabelecer limites, liderança, gentileza e firmeza. Do contrário, tende a desobedecer os comandos.

Ele é inteligente, portanto, o treinamento é geralmente fácil, desde que o pet não esteja demonstrando uma tendência teimosa.

Convivência com o Shar Pei

Se você nunca teve um cão é melhor que este não seja a sua primeira experiência ou a frustração virá a galope. Apesar de serem bem tranquilos e fiéis, são muito independentes o que pode fazer deles uma raça bastante teimosa.

Se o dono não tiver pulso firme e mostrar quem manda dando ordens com voz firme e não cedendo a chantagens emocionais, o que poderia ser uma convivência prazerosa pode se tornar praticamente impossível.

O Shar-Pei é um cão alerta e independente. Ele é extremamente dedicado à sua família, mas distante daqueles que não conhece. É comum ouvir dizer que esse pet prefere humanos a outros cães. Curtem ficar perto do tutor o tempo todo.

Mostrando-se tranquilo e confiante, desenvolve a intuitiva compreensão de seu dono ou família.

O Shar Pei late muito?

Ele é um cão muito fácil de se adaptar aos ambientes e consegue viver bem em um apartamento ou numa grande fazenda. Para que possui vizinhos chatos eles são excelentes pois latem muito pouco e fazem a sua melhor função como cão de guarda em silêncio.

Se um Shar Pei latir é melhor dar atenção porque eles só fazem isso se houver algum estranho na casa ou um acontecimento incomum. Eles possuem um temperamento bastante tranquilo e conseguem se adaptar bem à família, crianças e outros animais de estimação.

Assim, esses cãezinhos são considerados bastante silenciosos. Só latem quando estão se sentindo incomodados. Apesar de ser muito afetuoso, esse cão não gosta muito de colo e manhas.

O Shar Pei é destruidor?

Shar Pei tem uma lealdade incomparável ao seu dono. Se ele for deixado sozinho com muita frequência, provavelmente vai se entristecer. Mas não é comum descontar sua tristeza destruindo mobiliários da casa.

O Shar Pei é agitado?

Este não é um cão agitado ou impaciente, pelo contrário. Ele é tranquilo, calmo e gentil.

O Shar Pei requer espaço?

Ele se sai bem em um espaço limitado, como um apartamento, desde que faça exercícios diários. Um quintal não é necessário, mas ele gosta de sair e esticar as pernas. Em geral, o Shar-Pei é bastante feliz apenas dando um passeio com seu dono, onde quer que esteja.

Convivência com crianças, estranho e animais

A socialização deles com crianças, animais, família e amigos da família deve ser feita quanto ainda são filhotes. Não se preocupe com a função de cão de guarda, ela não será prejudicada por conta disso.

Manutenção e higiene do Shar Pei

Essa raça não precisa de cuidados exagerados. Existe um mito em torno de suas rugas, onde se deve lavar diariamente para que não contraiam doenças.

É verdade que as rugas são um lugar ideal para esconder parasitas e carrapatos. Entretanto, quanto a recomendação, é preciso verificar pelo menos semanalmente, aplicando um spray anti- parasitas nessas regiões.

O maior cuidado que se deve ter é com as dobras, pois entre elas fica fácil acumular muita sujeira e umidade, um ambiente extremamente propício para os fungos que acabam dando início às dermatites.

Seu pelo nunca deveria ser cortado, entre outras razões, por causa da dificuldade de fazê-lo em suas áreas irregulares. De tal forma, isso poderia prejudicá-lo. Escovar semanalmente será mais que suficiente.

Banho do Shar Pei

O banho freqüente não é necessário para o Shar-Pei, mas quando você o banhar, seque-o completamente. As rugas e pregas cutâneas são um terreno ideal para infecções fúngicas.

Unhas

A recomendação é que as unhas sejam cortadas ou lixadas duas vezes por mês.

Orelhas do Shar Pei

Por causa de sua forma e posição, tornam o canal do ouvido muito pequeno. Então o ideal é sempre verificar se há acúmulo de cera e limpar sempre que for necessário.

Dentes

Escove seus dentes pelo menos 3 vezes por semana para evitar acúmulo de tártaro, prevenindo, assim, infecções e mau hálito.

Nível de exercício do Shar pei

Os Shar Peis são cachorros de porte médio e calmos. Mesmo pertencendo a uma raça de luta e constituindo resistência física, não costumam correr e se exercitar demais. Assim, os exercícios físicos não são um problema, pois apenas 20 minutos por dia de caminhada leve já é o bastante para um Shar Pei.

Alimentação da raça Shar Pei

O Shar Pei tem uma cabeça enorme, um focinho e uma mandíbula superior curta. Assim, a mastigação do cão é limitada e ele tende a engolir a comida sem mastigá-la.

Para evitar problemas digestivos, é importante separar a ração diária do pet em duas refeições por dia. Até os 6 meses de idade, ele terá que receber 3 refeições diárias.

Reprodução da raça Shar Pei

A fêmea tem um cio por ano e pode ter de 4 a 6 filhotes.

Filhotes da raça

Enquanto filhote, o Shar Pei é muito indisciplinado, embora isso mude para melhor quando cresce. Tenha isso em mente se estiver pensando em adquirir um.

Saúde do Shar Pei

Um pequeno problema que pode ocorrer é o entrópio que é causado quando as rugas que se formam na cabeça caem para a frente do olho. Isso pode ter como consequência um crescimento inverso dos cílios e das pálpebras que ficam no sentido inverso e podem danificar a córnea. Mas há uma maneira de resolver esse problema, mas o procedimento deve ser realizado ainda quando filhote: basta que um veterinário dê 3 pontos nas pálpebras. Assim, haverá a formação de pregas o que impedirá que as pálpebras caiam sobre os olhos.

Fotos do Shar Pei

Shar Pei Shar Pei Shar Pei

Separei mais esses conteúdos para você:

Guia de Adestramento Para Cães

Seu cão faz xixi no lugar errado, destróis o seu sofá e não te obedece? Conheça o Guia de Adestramento para cães. Informe seu nome e e-mail.

envelope
envelope

4 COMENTÁRIOS

  1. Olá,

    Vim deixar meu depoimento de como está sendo ter um Sharpei em casa.
    Esse foi um dos sites que eu li enquanto estava esperando o Mont desmamar. E como existem poucos depoimentos de donos disponíveis em português pela internet, quero registrar para que outros tenham conhecimento juntamente com este artigo.

    Peguei o Mont no interior, a poucos dias de completar 2 meses, em Votuporanga, interior de SP. Ele estava ainda bem pequeno, e com 2 pontos em cada pálpebra. Da ninhada, o caso de entrópio dele era o pior, chorei muito no início pensando no incômodo nos olhinhos dele, tão pequenininho, com tanta irritação e lacrimejo, mas com o passar das semanas foi melhorando drasticamente. O levei em um oftalmologista veterinário que me receitou colírios lubrificantes e pediu que aguardássemos ministrando os colírios e limpando os olhinhos dele sempre. Como ele tinha muita agonia de mexer nos olhinhos, e com razão, não ministrei o colírio o número de vezes recomendadas, fui primeiro acostumando-o a me deixar limpar os olhos dele, toda vez que eu termino de limpar dou um palitinho de courinho e hoje, 2 meses e meio depois, ele já me deixou pingar o colírio sem dar trabalho. É como ensinar filhos, tem que ter paciência, amor e persistir, sem mostrar estresse ou frustração, apesar de algumas vezes eu ter perdido a paciência. Hoje, prestes a completar 5 meses, o problema dos cílios entrando nos olhos sumiu, faz 1 mês aproximadamente que tem melhorado a cada dia! O crescimento dele tem desenvolvido bem, dos 4 pontos: 2 caíram, tiramos 1 que estava machucando, formando pus e inchaço, pois ele cresceu e o ponto estava apertando e machucando a pele; e ainda falta 1 pra tirar, esse parece não incomodar, mas já precisa ser removido.
    O problema é que apesar dos cílios não entrarem mais nos olhinhos dele, o crânio ainda não cresceu o suficiente ajudando no posicionamento das pálpebras, ou seja, os olhinhos dele estão abertos mas o globo ocular está pra cima, só dá pra ver um pouquinho dos olhos com ele normal, só consigo ver os olhões dele quando ele deita e joga a cabeça pra trás, aí as pelancas saem da frente, a pele toda vai pra trás, e tudo fica no lugar, os olhos dele são escuros e saudáveis. Temos que esperar a fase final do crescimento pra ver como ficará, mas eu acredito que vá ficar bem.

    Quanto ao comportamento, nos surpreendemos com o companheirismo e obediência dele, não somos adeptos de coleira, só usamos a peitoral uma vez para levá-lo ao parque, mas chegando onde ficaríamos tiramos pra ele brincar livre. Ele dorme nos pés da nossa cama, fica conosco na casa, colocamos as refeições dele na mesma hora em que comemos, troco a água 3 vezes por dia, pra ele sempre ter água fresca e limpa, pois por conta das papada e das pelancas eles se babam demais pra tomar água. Ele fica no trabalho conosco, o escritório da empresa fica no mesmo terreno da casa, e então ele participa, vê e ouve bastante coisa, sempre solto, sempre atrás de mim como uma sombra. Quando viajamos para o interior, em viagens de 5 horas de carro, ele vai numa boa, super comportado, chega nos lugares e fica quietinho, não é de latir, já o levamos num evento numa chácara com muitas pessoas e ele ficou de boa, inclusive assistiu a um culto quietinho o tempo inteiro, todos ficam sempre muito surpresos com o comportamento dele, por podermos andar com ele sem coleiras e sem problemas de desobediência.

    Ele é muito dócil e aceita carinho de estranhos, não morde, até mesmo quando estamos brincando de brincadeiras violentas, quando coloco a mão na boca dele, ele não morde pra machucar. Os dentes dele estão crescendo ainda, e ele ás vezes sente muito incômodo. Mas sim, são super afiados.

    Agora que ele já está maiorzinho, a única coisa que tenho notado de diferente é que ele não gosta que eu fique abraçando e beijando ele o tempo inteiro, ele não sai de perto e não evita, mas ele fica impaciente que eu fique segurando a carinha dele de frente e fique beijando as bochechinhas dele, no entanto continua adorando ser massageado, receber cafuné nas dobrinhas da cabeça e afago na barriguinha, e massagem nas patas. Ele não cabe mais no colo, está descobrindo que é fortinho, que não cabe mais e quando tento pegá-lo, ele tenta sair fora kkkk. Faço todos os dias a mesma rotina de carinho, ele recebe muita atenção minha, do meu marido e do meu cunhado. Todos os dias de manhã quando vamos levantar, eu falo com ele dando bom dia e aliso a pancinha dele, quando vamos deitar a mesma coisa, dou atenção, carinho e ele dorme a noite toda. Quando levanto pra fazer xixi, ou ele fica sentado no pé da cama me esperando, ou fica na porta do banheiro, pois sabe que é hora do café da manhã e fica alerta, antes de fazer meu café coloco a ração dele.

    Falar com ele é muito fácil, pois basta chamar uma vez que ele vem e acompanha, na primeira semana conosco ele aprendeu o nome dele. Ele obedece ao comando de sentar do meu marido. Estou tentando introduzir o comando da patinha, mas ele não parece gostar de ficar apoiado numa pata dianteira só a troco de nada.

    Ele está pesando 17,8 kg, faltando poucos quilos pra alcançar o peso médio de um Sharpei adulto, lembrando que ele faz 5 meses agora no começo de Outubro.

    Ele é um cachorro maravilhoso. Acho que deixá-lo solto, cercá-lo de atenção, incentivá-lo a conhecer coisas novas, ao invés de tudo repreender e afastar, levá-lo a lugares diferentes, e inserí-lo em nossa rotina, ao invés de ele ter a rotina dele, e nós a nossa; ajuda demais na tranquilidade do cachorro e na confiança nos donos. Ele sabe que estaremos lá para ajudá-lo não importa a situação, basta ele resmungar pra averiguarmos de tem algo o incomodando, e que só queremos o bem dele, por isso ele não sente que precisa estabelecer um território perante a gente ou ter qualquer tipo de competitividade.

    O instinto de cão de guarda tem aflorado, agora ele consegue latir grosso, e qualquer barulho que ele não consiga identificar quem está fazendo e o que é, ele já fica a postos. Acho que com o passar do tempo ele vai passar a correr sozinho pra origem do barulho e vai verificar, por enquanto ele não faz isso.

    Quando vou almoçar em família na minha avó o levo junto, e ele fica com a gente quietinho sentado em algum paninho ou tapete que tenha no chão.

    Quanto a xixi, deu um pouco de trabalho mas ele já aprendeu os lugares em que ele pode fazer suas necessidades, e ele gosta de privacidade, não gosta de ser observado cagando.

    Por enquanto, nesses 3 meses sendo dona de um machinho Sharpei, é o meu relato! Espero que ajude a outros que estão interessados na raça. Eu me surpreendi, e tenho certeza de que não só com o Sharpei, mas com qualquer raça, oferecendo estrutura e amor pro cachorro, tratando-o com respeito, ele vai corresponder e vai ser uma fonte inesgotável de alegria e lealdade!

    • Obrigada pelo seu depoimento. Me a mudou muito. A Tontom tem 37 dias e é minha primeira cachorra, mas já consigo perceber o quando ela é companheira.

  2. O depoimento é show!! No meu caso to querendo adotar um sharpei de dois anos, to ainda um pouco receosa…Ele já é adulto e tem glaucoma em um dos olhos e o outro só vê vultos!! Quase ceguinho? Preciso de um cachorro tranquilo, que lata pouco…Meus vizinhos são um saco!! Tive que mandar dois que adotei pros meus pais, mas estão bem la e os vejo todos os dias!! Mas não da pra mandar mais um, se não der certo!! Pelo que entendi ele era cachorro de apartamento e ficou quase cego quando filhote ainda…Agora tá num lar temporário em uma corrente porque os donos não gostam de cachorros e tem medo, mesmo ele não tendo feito nada!! Ja deu pra perceber que moro de aluguel, moro sozinha…A idéia é deixa- lo dormir na sala em um almofadao …E deixar o terraço e a lavanderia pra fazer ” as necessidades”…Genteeee é muito custoso um cachorro desses?? A pessoa que está com ele falou que eles babam?? E o ideal é dar banho toda semana?? Tem algum cheiro em especial por causa da pele?? E to meio assim por já ter dois anos, pelo temperamento e por ser quase cego a pessoa disse que ele tem algumas limitações…Marquei pra conhece- lo final da semans que vem…O que acham?? Eu amo cachorros!! Me apaixonei pela carinha dele!! Ele ê escuro e me tocou muito ele ser quase cego e tá amarrado?…

  3. Olá,
    Como vocês, eu tive uma Shar pei, se chamava Chanel, veio para mim com 2 meses. Sou casada a 3 anos e foram 3 anos pedindo um cachorro para o meu esposo, pois ele não “gostava” de cachorros, até que em Fevereiro desse ano eu consegui convence-lo a comprar um. Como vocês eu também pesquisei muito sobre a raça, não queria um cachorro muito grande e nem que colocasse medo, pois meus afilhados frequentam a minha casa e poderia ficar com medo.
    Quando compramos a Chanel nos apaixonamos no mesmo instante, com o convívio vimos o quão especial é essa raça. Ela era muito companheira, super dócil, não gosta de ficar sozinha, estava sempre procurando por mim ou meu marido para ficar olhando. Viajamos 3 vezes com ela no carro, super tranquila, ficávamos num apartamento, nem parecia que tinha cachorro com a gente. Ela nunca fez nada dentro de casa, nem xixi e nem coco, sempre no quintal, no cantinho dela. Teve seus momentos de arte, comeu 2 sifões do tanque, raspou o embolso da parede da varanda, mordeu a placa do carro, pegou algumas roupas no varal, mas ela fazia tudo isso quando ficava muito tempo sozinha.
    Toda vez que eu saia para trabalhar era uma luta, pois ela vinha atras de mim, não deixava eu sair. Eu ficava com pena, pois não queria deixa-la sozinha, mas tinha que ir. Quando chegava do trabalho, ela já sabia o barulho do carro, ficava no portão me esperando. E sempre me recebia com um abraço envolta da minha perna e com a bolinha dela na boca.
    A hora do banho era uma festa, eu dava banho todo sábado, no começo eu colocava perfume canino, porém começou a dar caspa. Os olhinhos dela lacrimejava muito, então o veterinário viu que os cílios dela estão para dentro e passou uma pomada humana, para aplicar de 3 em 3 horas, e limpar com soro. Melhorou muito. Ela também teve uma inflamação no ouvido, por conta da bagunça com a água, (ela adorava brincar com água), e ele passou um remédio feito em farmácia de manipulação, e em 5 dias melhorou.
    Os pelos caem muito, segundo o veterinário é em toda troca de estação. Acabou que havíamos acostumado com o quintal cheio de pelo, e para o carro nos compramos uma capa.
    Porém em julho desse ano, ela pegou uma gastroenterite e as vacinas que ela havia tomado não fizeram efeito no organismo dela, (por favor, não confiem em qualquer veterinário), acabou ficando com a imunidade muito baixa, ficou internada 3 dias, e eu e meu marido atras de outros veterinários para cuidar e tratar dela, ela estava evacuando sangue e vomitando, não conseguia comer. Ficava no soro o dia inteiro, usava fraldas, e até que achamos uma veterinária que amava o que fazia e ela se dispôs a cuidar da nossa Chanel, porém foi tarde de mais. Acabou virando uma infecção generalizada, e não resistiu. Foram os melhores 4 meses que eu poderia viver com ela. O meu marido que não gostava de cachorro, acabou se apaixonando por ela, todos os dias ele sentava no chão para brincar e fazer carinho.
    Essa é a melhor raça que poderia existir, ela sabia que era amada, em todo sofrimento dela, ela em momento algum rosnou, latiu ou mordeu alguém, minha avó com 75 anos, dormia com ela, passeava com ela na rua.
    A ultima veterinária que cuidou da Chanel, disse que a vacina que ela tomou não era boa, e que se ela tivesse tomado uma dose só da vacina correta, ela hoje ainda estaria com a gente. Então não confie em qualquer veterinário, eu achava que estava fazendo o certo, porém não pesquisava, e hoje sofro de saudades dela.

    Em janeiro eu vou pegar outra dessa raça, se chamará Malu, pois a veterinária pediu para dar 6 meses para desinfetar o meu quintal, estamos lavando todo semana com com produto específico.
    E para mim a Chanel sempre irá existir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here