Conheça a origem e história do Rottweiler, esse cachorro de aparência imponente e majestosa, muito leal e ótimo cão de guarda.

Entre suas características podemos ressaltar o senso de guardião, que o faz um grande protetor, além de ser muito ativo, inteligente e educado.

Até hoje, a maioria dos Rottweilers são usados para proteger o ambiente, seja ele qual for. Eles cumprem muito bem esse papel, mas também são cães carinhosos se bem educados por seus tutores.

Desde sua origem, foram desenvolvidos para o trabalho, sendo extremamente ativos e territorialistas.

Por isso, é comum vê-los como guias policiais, cães farejadores ou competidores, etc. Mas qua a origem e história do Rottweiler? Veja abaixo!

Origem e história do Rottweiler
Cão Rottweiler em campo, ao ar livre. Crédito da foto: Freepik

Origem e história do Rottweiler

Origem e história do Rottweiler: Assim como acontece com outras raças, há controvérsias em relação a origem do Rottweiler.

Para alguns estudiosos, ele é oriundo da Alemanha, descendente do Boiadeiro da Baviera. A outra teoria é de que a raça surgiu após o cruzamento do Mastim com o Pastor Alemão.

Antes da Primeira Guerra Mundial, o Rottweiler já era utilizado para proteger o exército alemão.

No entanto, com o estopim das duas Grande Guerras, ele foi novamente utilizado pelos militares para o trabalho.

Porém, apenas 21 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1966, a raça foi definitivamente reconhecida.

Ligado ao trabalho desde sempre, o Rottweiler também ficou conhecido por ser um excelente cão pastoreio.

Por conta da sua força, os fazendeiros utilizavam o cachorro para controlar e pastorear os rebanhos de gado na Alemanha.

A origem do nome do animal foi devido a popularidade que a raça ganhou na cidade de Rottweil, na Alemanha.

Lá, uma cidade reconhecida por ser um grande polo de açougueiros, o cachorro era chamado de Rottweiler metzgerhund (cão açougueiro), por ser utilizado para puxar os carrinhos de carnes.

Origem e história do Rottweiler – Os descendentes do Rottweiler

Origem e história do Rottweiler: A utilização de cães pastores de ovelha sempre foi muito comum na Grã-Bretanha, resultando na reprodução de diferentes raças para a função.

Entretanto, a maioria dos cachorros eram difíceis de serem adestrados e faziam muito barulho ou atacavam as criações.

Essa dificuldade fez com que os fazendeiros da região buscassem frequentemente por cães com habilidades mais adaptadas.

Em 1873, foi realizado o primeiro campeonato de cães pastores, com o intuito de encontrar a raça ideal.

O cão chamado Hemp se destacou na disputa pela facilidade em intimidar as ovelhas sem precisar latir ou mordê-las. Como resultado, em pouco tempo, começaram a aparecer vários descendentes.

Origem e história do Rottweiler
Cão da raça Rottweiler ao ar livre. Crédito da foto: Freepik

Origem e história do Rottweiler – Qual a história do Rottweiler?

Origem e história do Rottweiler: Sua origem remonta aos tempos das Legiões Romanas, quando os antepassados dos Rottweilers desempenhavam as funções de guarda e condutores do gado, evitando ladrões e predadores, assim como guarda dos acampamentos e dos prisioneiros.

Um dos caminhos utilizados pelas Legiões Romanas passava pelo sul da Alemanha, numa cidade conhecida pelos romanos como Arae Flaviae, fundada dois séculos antes de Cristo.

Este local funcionava como um centro administrativo e social importante, onde os soldados faziam parada obrigatória.

Com a ocupação imposta pelos romanos, a cidade prosperou e ascendeu à condição de Vila fortificada.

Seus prédios mais importantes foram cobertos de telhas vermelhas e por esta razão passou a ser chamada de Rottwill (vila vermelha) que passou com o tempo para Rottweil, como até hoje é conhecida.

Os romanos utilizavam cães grandes, do tipo Molossos em suas batalhas, portanto podemos concluir que o aspecto pesado, ossos fortes, cabeça poderosa, e o temperamento firme do Rottweiler descendem deste tipo de cão.

Cães montanheses suíços, também de grande porte participaram da formação da raça, pois estes cães transmitem os indesejados pelos brancos que por vezes insistem em aparecer até hoje no peito e patas dos Rottweilers, mas também contribuíram no sentido de aprimorar o trabalho de pastoreio que foi vital para a raça.

Entre 250 e 260 D.C., os romanos foram expulsos por tribos locais, e os cães foram deixados para trás, estes muito valentes na proteção de seus donos e propriedades foram mortos em quantidade.

Os sobreviventes foram envolvidos na lida com o gado, guarda e outros serviços.

A cidade de Rottweil se tornou um próspero centro comercial, atraindo boiadeiros, fazendeiros e comerciantes de várias regiões para ali realizarem negócios.

Logo foi notada a presença desses cães e, por se tratar da cidade onde foi selecionada a raça, daí surge segundo a origem e história do Rottweiler surge o nome da raça.

Nesses tempos de montanhas, haviam muitos assaltantes e também lobos. Portanto, os cães fortes eram necessários para proteger e conduzir os rebanhos.

Nessa época, os boiadeiros tinham vários destes cães e alguns até brincavam que, após realizarem os seus negócios, pendurariam as bolsas de dinheiro no pescoço dos Rottweilers na certeza de que ali, ninguém as roubaria.

Origem e história do Rottweiler
Cão da raça Rottweiler em gramado, ao ar livre. Crédito da foto: Freepik

Origem e história do Rottweiler – Qual a história do Rottweiler?

Origem e história do Rottweiler: Conheça a linha do tempo desse admirável cão

Origem e história do Rottweiler: Durante várias décadas estes cães foram selecionados pela sua vitalidade, inteligência, resistência e capacidade de condução.

Desta forma tornaram-se parceiros insubstituíveis dos negociantes de gado.

Com o modernizar dos tempos, as ferrovias passaram a ser utilizados no transporte do gado e o Rottweiler perdeu a sua mais importante tarefa.

Em 1882, surge o primeiro registro de um Rottweiler sendo apresentado em uma exposição.

Já em janeiro de 1907, foi fundado o Deutscher Rottweiler Klub Clube Alemão do Rottweiler (DRK).

No mesmo ano, no mês de abril, após uma grande divergência entre diretores do DRK, foi fundado o Internationalen Rottweiler Klub (IRK).

Com o passar dos anos, perceberam que já não havia lugar para este tipo de procedimento, pois a união dos clubes só traria benefícios para a raça.

Em 1910, o caráter e as qualidades desta raça foram novamente notadas e mais uma vez foi chamado ao trabalho.

O Rottweiler foi então uma das raças indicadas e testadas para o serviço de polícia, tendo mostrado mais uma vez as suas excelentes qualidades e com isso aprovado como Cão de Polícia.

Em agosto de 1921, foi fundado o Algemeiner Deutscher Rottweiler Klub (ADRK), que é a fusão do DRK e IRK.

Este clube permanece ativo até hoje e comanda tudo o que diz respeito à raça Rottweiler, inclusive com relação ao padrão oficial da raça.

O Rottweiler chega finalmente na América do Norte em 1928, desembarcando nos Estados Unidos e em 1930 nasce a primeira ninhada americana.

O AKC (American Kennel Club) reconheceu a raça um ano depois, em 1931.

E no Brasil? No nosso país, segundo a origem e história do Rottweiler, ele chegou alguns anos mais tarde, mais precisamente em 1967.

Ele foi trazido da Alemanha por Dimiter Petroff, e o primeiro exemplar foi um macho chamado Astor von der Wesfallenstube, que não chegou a reproduzir.

Em 1972, deu-se origem ao primeiro canil brasileiro a registrar uma ninhada, sendo os pais importados da Alemanhã.

Os cães, chamados Camba von Beseliche-Kope e Etzel von Gertudenhof, geraram o primeiro filhote registrado no Brasil: Aca, um machinho. Tiveram também cinco fêmeas, chamadas Alba, Amba, Anna, Anka e Amai. Com certeza, eram umas fofurinhas, né?

Desde então, a origem e história do Rottweiler foi intensamente importado principalmente da Alemanha, e já foram registrados mais de 200.000 filhotes da raça aqui no Brasil.

Só no ano de 1997 foram registrados por aqui 26.000 filhotes.

Porém esses números são muito grandes se comparado com a criação na própria Alemanha, já que em 96 anos de existência de Clube foram registrados apenas 108.000 filhotes.

Na Alemanha, os cães não podem acasalar sem que cumpram um rígido regulamento de criação, e somente os aprovados em todos os quesitos poderão gerar filhotes com pedigree.

É preciso ter um controle de qualidade, mas isso infelizmente não ocorre por aqui.

Em outras palavras, aqui no Brasil essa raça é um grande sucesso, sendo uma das 10 mais registradas.

A origem e história do Rottweiler mostra que nenhuma outra raça conseguiu registrar 20% de todos os registros nacionais. É impressionante, pois isso significa que a cada 05 filhotes registrados em 1997, um era Rottweiler.

Dados são computados desde 1994, e ele foi o mais registrado de 1995 à 2000, sendo a segunda colocada em 1994 e 2001, e terceira em 2002.

Durante muitos anos segundo a origem e história do Rottweiler também vem se destacando como a raça com expressiva participação nas exposições cinófilas, sendo na maioria das oportunidades, a que apresenta o maior número de inscrições.

Em uma exposição especializada da raça promovida pela Associação Paulista do Rottweiler durante o ano de 2002 houve 182 inscrições.

Nos dias de hoje, o Rottweiler é utilizado em várias funções de trabalho, como: cão de guarda, cão-guia para cegos, participante de agility, provas variadas de trabalho, etc.

Definitivamente, esse é um cão incrível, forte e corajoso. Possui corpo robusto e a fama de ser bravo ou mau, mas que na verdade é um cachorro com forte instinto de proteção e lealdade ao seu dono.

Ele pode sim ser dócil e carinho se bem tratado e treinado quando filhote. Ele aprende rápido e é fácil de conduzir, pois é muito inteligente e cheio de vontade de trabalhar.

Ele é um cão injustiçado, assim como o Pitbull, pois sua fama está muito atrelada à educação que recebe de seu tutor. Portanto, a educação é fundamental, bem como a socialização.

Ele deve interagir com pessoas e outros cachorros desde filhote, pois isso fará com ele se acostume com a presença destes em qualquer lugar e não sinta desconfiança e ameaça deles.

Cuide bem do seu Rott, eduque-o com firmeza mas nunca com violência e agressividade, faça um adestramento baseado no reforço positivo, com paciência e dedicação.

Nunca grite com seu cão, filhote ou não: sempre fale com ele de forma delicada, com carinho na voz, mostrando o que você quer. Não seja impaciente e nunca o maltrate!

Se bem treinado, você terá como recompensa um cão equilibrado, saudável e feliz, cheio de amor, carinho e lealdade para lhe dar em troca.

Não se esqueça: quanto mais você mostrar amor, mais amor você terá de seu cãozinho!

Essa foi a Origem e história do Rottweiler!

Agora que você já sabe a origem e história do Rottweiler, leia também:

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here