Você sabe como escolher o pet-sitter ou dog walker? Atualmente esses profissionais são muito procurados, mas muita gente não sabe como escolher. Não tem problema. Vamos falar sobre isso nesse artigo.

Os cães precisam muitas vezes de cuidados que o tutor por algum motivo não pode oferecer. Como no caso de viajar e não ter com quem deixar o peludo. Por isso você precisa saber como escolher esse tipo de profissional.

Assim você consegue cuidar o melhor possível do seu cãozinho e deixa-lo mais saudável e feliz. E é claro aos cuidados de alguém que será bom para ele.

escolher o pet-sitter

Confira o perfil do profissional

É bom saber como é aquele profissional. Ele está apenas fazendo um bico? Pode ser que ele tenha um bico e muita experiência na área. Às vezes é alguém que não tem experiência profissional, mas cuida muito bem de animais.

O mais importante é que a pessoa goste de animais. Vale a pena avaliar todo o perfil. Onde mora, se tem espaço para o seu cão, no caso de deixar na casa do pet-sitter. Vale se informar se ele faz passeios personalizados ou padrão. Saiba o máximo que puder.

Aproveite para ler nosso artigo sobre como socializar cães intolerantes com outros animais

Existem sites e aplicativos para isso

escolher o pet-sitter

Não precisa procurar na agência mais cara da cidade. Ou naquela rede mundial de cuidadores e passeadores de cães. Dá para encontra bons pet-sitters e dog Walkers em sites e aplicativos.

Muitos recebem os doguinhos em sua própria casa, enquanto outros fazem visitas agendadas. O bom desses sites e aplicativos é que as pessoas passam por uma seleção e você ainda pode checar o perfil delas.

Nesses sites você também encontra uma variedade de preços. Além de que alguns possuem um seguro e caso seu cãozinho precise o profissional vai leva-lo a um veterinário. Outro ponto legal é que eles sempre mantem o tutor avisado sobre como o peludo está.

Aproveite para ler nosso artigo sobre como lidar com cães agressivos que costumavam ser dóceis

Não precisa ser caro para ter qualidade

enriquecimento ambiental

Muitas pessoas que prestam esse tipo de serviço estão fazendo uma renda extra ou até enxergam isso como uma opção para o desemprego. E não significa que por não terem feito um monte de cursos e cobrarem menos que o trabalho deles tenha qualidade inferior.

Pelo contrário, a maioria dessas pessoas tem animais há muito tempo e sabem como cuidar. Além de que os sites e aplicativos dão uma qualificação e um curso básico para o profissional iniciante.

Então se você não tem muito dinheiro, mas precisa de ajuda com o pet. Não descarte a possibilidade de pedir ajuda a profissionais que não são de grandes empresas. Apenas se informe antes sobre o perfil da pessoa.

Conheça o profissional antes de contratar

Um tópico muito importante é conhecer o profissional antes. Vá até a casa se for hospedar o pet lá. Ou chame o passeador ou pet-sitter se o combinado for ele ir até sua casa. Mas evite contratar sem conhecer a pessoa.

Com esse cuidado antes você conhece melhor a pessoa e observa se ele se dá bem com o seu cão. Para escolher o pet-sitter ou passeador é importante ver como a pessoa se sai antes de contratá-la.

Aproveite para ler também nosso artigo sobre como lidar com cães muito preguiçosos

A opinião do cão importa

escolher o pet-sitter

E esse é o ponto mais importante na hora de escolher o pet-sitter ou passeador. A opinião do seu cão importa muito, afinal ele que vai ficar com a pessoa. Se o cãozinho não se deu bem com o profissional, não importa se ele é o melhor da cidade ou indicação de um amigo. O ideal é não contratá-lo.

Faça o possível para deixar seu cão o mais confortável possível enquanto ele precisar estar com outra pessoa. Para evitar estresse desnecessário para o bichinho. Por isso contrate alguém que o cãozinho gostou. Isso vai aumentar as chances de dar tudo certo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here