O cruzamento de cães é um processo delicado, o qual exige cuidados especiais, tanto dos donos quanto dos médicos veterinários. Além do acompanhamento básico – principalmente das fêmeas – é preciso atentar-se alguns detalhes, de forma que a mãe e os filhotes passem pelo processo dom tranquilidade e, acima de tudo saúde. Preparamos uma matéria reunindo as principais dúvidas relacionadas ao tema, acompanhadas de dicas. Leia e entenda um pouco tudo sobre o cruzamento de cães.

Saiba tudo sobre cruzamento de cães

Destino da ninhada

Todos sabemos que filhotes de cachorro são lindos, fofinhos e amorosos. Mas é importante saber também que, para cuidar destes pequenos notáveis é preciso investir dinheiro, tempo e amor, além de ter um ambiente espaçoso, disponível para os cãezinhos.

Por isso, antes de iniciar o processo de cruzamento, defina qual será o destino dos filhotes. Eles ficarão com a família da fêmea? Serão distribuídos entre as duas famílias (macho e fêmea)? Ou serão doados? Irá vendê-los? Pense antecipadamente em todas estas possibilidades.

Saiba tudo sobre cruzamento de cães

Dica: Muitos proprietários optam por firmar contratos registrados em cartório, antes do cruzamento. Desta forma, estão protegidos por lei e, consequentemente, evitam futuras dores de cabeça. Neste caso, contratar um advogado é essencial.

Escolha dos parceiros

O ideal é que o macho e a fêmea sejam da mesma raça. Quanto ao porte, é recomendado que o macho seja do mesmo tamanho da fêmea, ou até menor. Fêmeas que cruzam com machos maiores podem sofrer com problemas durante a gestação. Em casos mais graves, a cadela pode – inclusive – ir à óbito.

Saiba tudo sobre cruzamento de cães

Grande parte das mortes de cadelas durante o parto é explicada pela escolha errônea dos parceiros, principalmente quanto ao porte. Deve-se saber que cruzar fêmeas com machos grandes e robustos pode gerar filhotes grandes, dificultando o procedimento.

Período ideal para o acasalamento

Assim como os homens e as mulheres, os cães também possuem uma idade ideal para participar do cruzamento. No caso dos machos, a identificação é mais simples: a partir de 18 meses o animal já encontra-se totalmente amadurecido, pronto para o acasalamento. No caso das fêmeas, é preciso analisar os períodos do cio. O indicado é que as cadelas sejam submetidas ao cruzamento apenas após o 3° cio, já que neste período o seu aparelho reprodutor está totalmente desenvolvido.

Observação: O 3° cio é o período recomendado, principalmente, para fêmeas de raças medianas. Para cadelas de pequeno porte – tais como Yorkshire e Pinscher – vale aguardar pelo 4° ou 5° cio.

Saiba tudo sobre cruzamento de cães

As cadelas entram no período de cio duas vezes ao ano, porém, muitas vezes os donos não os percebem, já que estes períodos são secos – ou seja, a cadela não sangra. É preciso ficar atento pois, apesar da inexistência de sangramentos, o macho percebe – o que pode acarretar em um cruzamento acidental.

É importante saber que o cio das cadelas dura cerca de 20 dias. Nos primeiros 9 dias – período conhecido como “pró-estro – as cadelas apresentam um forte sangramento, o qual impede o acasalamento. Passado o 9° dia, a fêmea sangrará menos e começará a ovular. Este é o momento exato para o acasalamento.

Cães com doenças podem cruzar?

Saiba tudo sobre cruzamento de cães

Impreterivelmente, apenas cães saudáveis devem ser acasalados. Realizar cruzamento de cães doentes pode afetar não somente a saúde da fêmea e do macho, mas também dos filhotes. Veja algumas das doenças que devem ser considerados, no ato do cruzamento:

  • Doenças genéticas;
  • Displasia coxofemoral;
  • Criptorquidismo;
  • Alergias graves;
  • Catarata precoce;
  • Epilepsia;
  • Problemas cardíacos ou cardiopatias graves;
  • Fêmeas obesas ou com sobrepeso;
  • Cães com DST’s (doenças sexualmente transmissíveis), tais como o tumor de Sticker e brucelose.

Cuidados com a saúde

Antes do cruzamento, os cães – macho e fêmea – devem passar por uma bateria de exames médicos, os quais irão analisar as condições físicas de ambos os parceiros.

Saiba tudo sobre cruzamento de cães

Já após a gestação, apenas a fêmea necessita de cuidados especiais, principalmente relacionados à alimentação: nas duas últimas semanas da gravidez as fêmeas devem ser alimentar com rações especiais para filhotes, visto que estas concentram uma maior porcentagem de sais minerais e proteínas. Logo após o primeiro mês de gravidez já é possível realizar exames de ultrassonografia, para que seja identificada a quantidade de filhotes (Vale salientar que a quantidade de filhotes é definido de acordo com a quantidade de óvulos produzidos. Por isso, fêmeas que cruzam no início ou no final do cio tendem a gerar ninhadas menores.

Contar com um acompanhamento médico veterinário é altamente necessário, até para que o dono saiba como agir e como cuidar da fêmea gestante. O Pré-Natal deve ser realizado religiosamente, em uma clínica especializada.

Durante o período do cruzamento, a fêmea deve permanecer na moradia do macho. Desta forma, não é necessário que ela proteja e defenda seu território, dando assim atenção exclusiva à sua gestação.

O cruzamento de cães envolve muitas fases, sendo que todas estas necessitam de acompanhamento. Por isso, caso perceba alguma anormalidade ou tenha alguma dificuldade, inclusive durante o nascimento dos filhotes, não hesite em buscar auxílio de um médico veterinário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here