Enforcador

O enforcador infelizmente ainda é utilizado e recomendado por alguns adestradores. O método considerado ultrapassado é utilizado na maioria das vezes por tutores e adestradores em cães de médio e grande porte que puxam na hora do passeio.

Nesse artigo vamos explicar os motivos do uso do enforcador ser considerado um método ultrapassado. Quais os danos que o uso desse item causa e como você deve agir caso seu cão puxe muito e você tenha recebido como indicação apenas o uso do enforcador.

Tipos de enforcador

Enforcador

Todos os itens que são colocados em volta do pescoço do cão e enforcam ele quando o cão puxa ou a pessoa tenciona a guia, são considerados enforcadores. E todos tem o uso desaconselhado.

Até mesmo o uso da coleira de pescoço com a guia para cães que puxam é desaconselhada. Isso por que ela acaba tendo o mesmo efeito que os chamados enforcadores.

A guia unificada, o enforcador de corrente, corda e pontiagudo. Assim como a coleira de choque, ou colar elétrico como alguns chamam, são todos prejudiciais ao peludo. O ideal é que você passe bem longe desses itens na hora de comprar a coleira do seu cão.

Aproveite para conferir também nosso artigo sobre a importância do passeio para os cães

Danos Físicos

Enforcador

Os enforcadores e qualquer outra guia com um nome mais bonitinho, mas que ainda enforque, causam e também podem agravar uma série de problemas de saúde no cão. O pescoço é uma área muito sensível e a garganta é a parte mais vulnerável do cão, por isso é preciso cuidado.

  • Colapso da traqueia

Se amamos nossos cães e fazemos tudo para evitar problemas de saúde, por que usar um item que agrave ou cause um problema tão sério? A traqueia é um órgão muito importante de respiração dos cães, com o enforcador esse órgão é pressionado e causa um colapso, causando problemas respiratórios e tosse.

Algumas raças possuem pré-disposição a ter colapso de traqueia. O uso do enforcador só agrava o problema.

  • Pressão intraocular

A pressão intraocular feita pelo enforcador pode causar problemas nos olhos.

  • Siringomielia

Enforcador

O pescoço é ligado a coluna, e a medula espinhal. O uso do enforcador também pode causar a Siringomielia, que é a formação de cavitações com líquido na medula espinhal.

  • Problemas nas redes neurais e sistema linfático

Como foi falado, o enforcador aperta uma região extremamente sensível dos cães. E tem ligação com redes neurais, assim a pressão feita pelo enforcador nessa região pode desencadear diversos problemas dessa natureza.

  • Desordem na tireoide

Glândulas de hormônios podem ter o funcionamento alterado devido à pressão causada por esse tipo de guia. Causando assim complicações na tireoide, que podem causar diversos problemas como obesidade.

  • Fraturas na coluna

Quem usa enforcadores geralmente também é adepto dos puxões. Mesmo o tutor desenformado pode receber essa orientação errada de um adestrador e acabar reproduzindo no cotidiano.

Esse tipo de atitude pode causar fraturas na coluna. Devido não apenas ao puxão do cão, mas ao puxão da pessoa.

Possibilidade de fugas

Enforcador

Se o cão recuar por estar com medo de alguma coisa, o enforcador pode sim afrouxar a ponto dele conseguir tirar a cabeça. Mas quem quer impedir isso simplesmente vai passar o passeio inteiro tencionando a guia para não afrouxar o enforcador.

Como a premissa dos enforcadores é que o aperto só aconteça quando o cão puxa. Então seria equivocado dizer que a fuga não pode acontecer. Já que a forma utilizada de ter de certeza que isso não vai acontecer é tencionando a guia o tempo todo.

Outra forma é usando uma coleira de pescoço junto, o que muitos não fazem, e se o enforcador fosse mesmo bom, não precisaria ser utilizado com outro item.

Outra forma do cão fugir, situações que já aconteceram, é que durante o medo do enforcador e na tentativa de se livrar dele, o cão passe uma pata dentro dele. Assim ele consegue afrouxá-lo e se soltar.

Aproveite para conferir nosso artigo sobre raças de cães que vivem menos

Se você usa o enforcador sempre tencionado para evitar essas situações, certamente o cão está sendo castigado mesmo sem puxar. E assim jamais vai aprender a passear sem puxar, pois não saberá o que ele fez de errado, além de que não vai aproveitar o passeio. Ou seja, o enforcador não cumpre a ideia de educar que ele oferece.

Danos psicológicos

Enforcador

Além de todos os danos físicos, o cão também terá problemas psicológicos. Você conseguiria aproveitar um passeio sentindo dor e tendo seu pescoço apertado? Essa situação aumenta os níveis de medo e estresse dos cães.

O medo e estresse são as causas para diversos problemas de comportamento dos cães. Ou seja, aquele cão destruidor, que puxa no passeio ou até mesmo que é agressivo, só terá seus problemas agravados com o uso de enforcadores.

Assim como esses problemas comportamentais também podem surgir após o início do uso desse produto. Os cães podem ainda desenvolver depressão. Já que sempre que passeiam sentem dor, recebem trancos no pescoço e são impedidos de se divertir.

Aproveite para conferir nosso artigo sobre aprendizado dos cães

Como agir

Enforcador

O ideal é passar longe de enforcadores e qualquer outra coleira ou guia que aperte ou faça pressão no pescoço do cão. Se o cachorro puxa muito ou é muito grande e você tem medo de ser puxado. Opte pelo easy walk, ou seja, peitorais com o atador da guia na frente do peito.

Com esse tipo de peitoral o cão é virado para o lado sempre que puxa, assim ele não consegue puxar e com o tempo começa a acompanhar o tutor. Também use a técnica da árvore se deslocando apenas quando o cão não está puxando.

E use o reforço positivo com petiscos, oferecendo petiscos e também carinho quando o cão anda tranquilamente. Além de tudo aprenda que o cão é um cão e deixe ele cheirar as coisas e se divertir, isso é importante. Também entenda que nada se resolve com métodos milagrosos e rápidos. Mas que é preciso paciência e dedicação para educar e proporcionar bem-estar ao seu cão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here