Você sabia que existe guarda compartilhada para cães? Sim, se um casal se separar é possível que ele compartilhe a guarda do cão ou mais de um animalzinho de estimação que vivia com o casal.

É possível até mesmo criar a guarda compartilhada de forma justa sem precisar recorrer à justiça. Por isso vamos falar sobre esse assunto e como um casal que não está mais junto ainda pode ter contato com o cão sem que ninguém seja prejudicado. Afinal, cães são parte da família, e é importante que os laços afetivos não sejam quebrados, pois também é prejudicial a eles.

Guarda compartilhada de forma amigável

Guarda compartilhada

Se o casal se separou de forma amigável, então pode nem ser necessário recorrer a um processo na justiça. Vocês podem encontrar juntos uma forma de que o cão possa ver os dois sem que apenas um fique com ele.

Os custos também podem ser divididos. Se o casal já dividia o custo com base nas condições financeiras de cada um, pode continuar assim. Desde que os dois estejam de acordo. O tempo com o cão pode ser dividido da forma que for melhor para o cão.

Às vezes uma semana com cada um realmente funciona. Mas em outros casos um fim de semana a cada 15 dias e o resto dos dias com quem tem mais tempo e até mais espaço pode ser o melhor.

Como estamos falando de casais separados de forma amigável nesse tópico é possível ter esse acordo mais tranquilo. É importante que a guarda compartilhada leve em consideração o melhor para o cão. Portanto sendo possível conversar, os dois devem entrar no acordo do que é melhor.

Aproveite para ler nosso artigo sobre brinquedos para não dar a cães destruidores

Processo na justiça

Guarda compartilhada

Se o casal se separou de forma agressiva é bom procurar a justiça. Se o seu ex-parceiro ou parceira não permite que você veja o cão, isso pode ser resolvido pelo juiz. É bom ter como provar que o cão também é seu. Busque também testemunhas de que os cuidados com o cão sempre foram partilhados. E fale com um advogado.

A justiça leva em consideração comprovações de quem é o dono. Mas também leva em consideração com quem o cão tem mais afeição, e quem pode proporcionar tempo, espaço e bons cuidados para o cão.

Aproveite para conferir também nosso artigo sobre 9 coisas que os cães amam e pode deixar eles muito felizes

Papelada

Gravidez psicológica canina

Com o processo na justiça é pedido que a pessoa leve comprovantes de que é o dono do cão. Pode ser a nota de compra do cão, papelada de adoção, documentação de viagem ou qualquer outro papel que comprove quem é o dono do cão.

Se você quer pedir a guarda compartilhada do cão e a outra pessoa está querendo afastar o cão de você, é importante ter essa papelada para comprovar que você é o dono. Se não tiver isso infelizmente será mais difícil de conseguir a guarda compartilhada para cães.

Aproveite para conferir também nosso artigo sobre a importância da alimentação equilibrada para os cães

Bem-estar do cão

fases da vida

O mais importante é o bem-estar do cão. Então o juiz vai levar em consideração sim quem o dono, afinal por lei os animais são considerados objetos e ele não poderia retirar o pertence de alguém.

Porém se vocês não tem como comprovar que são proprietários do cão. Como no caso de um peludo resgatado da rua. O juiz vai levar em consideração o bem-estar do peludo. Tente um acordo com a outra parte. Essa é a melhor forma de fazer a guarda compartilhada dar certo.

Quem ama o cãozinho vai esperar que seja feito o melhor para ele. Mesmo que a pessoa não possa ficar com ele todos os dias. Mas que o cãozinho possa ver todas as pessoas a quem é afeiçoado. Tenha uma rotina, alimentação e vida saudáveis, para que seja feliz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here