Carrapato
Carrapato – Foto: Freepik

Você já ouviu falar nessa doença? Se não se lembra desse nome, com certeza deve ter ouvido falar na doença do carrapato. As duas são a mesma coisa. Ela é basicamente uma patologia instalada através de uma bactéria que é passada pelo carrapato. Se apenas um estiver infectado ele é capaz de transmitir a bactéria. Descubra mais sobre as causas, os sintomas e o tratamento a seguir.

O que é a Erliquiose?

Cachorro se mordendo
Cachorro se mordendo – Foto: Freepik

Como já dito acima, essa doença é causada por uma bactéria gram-negativa que geralmente se instalam dentro dos glóbulos brancos. As bactérias fazem parte do grupo Erlichia e o papel principal fica a cargo da Erlichia canis. Ela também pode ser transmitida para os gatos e também para nós humanos, mas é raro esse acontecimento. O principal transmissor é um carrapato chamado Rhipicephalos sanguineus.

Sintomas da Erliquiose

Veterinário examinando o cachorro
Veterinário examinando o cachorro – Foto: Freepik

Os sintomas são os mais variados possíveis indo de perda de apetite, até febre, inchaço nas patas, perda de pelos, mucosa pálida e pode chegar a ter convulsões. Eles podem se dividir nas 3 fases que você verá a seguir:

  • Aguda: é bem no início da doença, quando o cão começa a apresentar os primeiros sintomas. Aqui pode haver febre, falta de apetite, manchas vermelhas na pele e vômitos. Por não ter certeza do que se trata, o mais correto é levar o cão imediatamente para o veterinário e fazer exames.
  • Subaguda: dura, normalmente, entre 6 e 10 semanas, sendo este número uma média. O principal sinal clínico que pode ser visto nessa fase são as mucosas descoradas e o exame mais solicitado para diagnóstico é o hemograma. Como resultado apontando para uma possível erliquiose o número de hemácias estará muito abaixo do normal.
  • Crônica: é a fase mais avançada da doença. Nessa fase, o sistema imunológico está comprometido, o cão já está muito magro e com expressiva queda de pelos. Pode ocorrer hemorragias, pois o número de plaquetas está extremamente baixo impedindo a coagulação do sangue.

Tratamento

Assim como nos humanos, qualquer cura terá muito mais chances quanto antes a doença for diagnosticada. A boa notícia é que a chance de cura é vista em qualquer uma das fases e exige muita dedicação do dono para que o seu cão fique completamente curado. Os medicamentos são administrados para combater os sintomas e também são utilizados antibióticos visando matar a bactéria.

Cachorro deitado
Cachorro deitado – Foto: Freepik

O tempo que o tratamento leva para fazer efeito depende de muitos fatores como a fase em que foi conhecido o diagnóstico e o histórico de vida do cão. Se o tratamento iniciar na fase aguda, sinais de melhora já poderão ser vistos dentro de 24 horas. Em casos mais graves pode ser necessária a administração de medicamentos por via endovenosa e uma transfusão de sangue pode ser necessária.

Prevenção

Carrapato andando no pelo do cachorro
Carrapato andando no pelo do cachorro – Foto: Freepik

Manter a higiene tanto do animal como do local em que ele se encontra é a principal forma de prevenção. Verifique diariamente se há algum carrapato nele, principalmente após passeios ao ar livre ou então se você tem gramado dentro de casa. Os locais preferidos por esses parasitas são as orelhas, entre os dedos das patas e nas regiões próximas aos olhos, nuca e pescoço. A melhor forma de retirá-los é utilizando pinças com o auxílio de vaselina ou parafina para certificar que o carrapato saia por inteiro.

Sempre que for comprar algum produto para o seu cão, dê preferência para os veterinários e que sejam de acordo com a idade e a raça dele. Economia e animais não combinam. Os gastos com veterinários e produtos de qualidade são necessários para evitar problemas futuros. Usar produtos desinfetantes apropriados e com alto poder antibactericida é muito importante na hora da limpeza.

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here