Levar seu cão: As férias estão chegando e você vai viajar, mas não pode levar seu cão? Veja quais as alternativas e o que você pode fazer nesse momento!

Afinal, quando vamos viajar, queremos ter tranquilidade e curtir sem maiores preocupações, já que as tão merecidas férias são um dos momentos mais aguardados do nosso ano, não é mesmo?

Então veja o que fazer e qual a melhor solução para cada caso!

Levar seu cão – 1. Deixe seu pet à vontade em casa

Levar seu cão: É um consenso geral entre os veterinários de que animais de estimação ficam mais felizes e respondem melhor aos seus cuidadores quando são mantidos em casa, do que se fossem levados a outro ambiente totalmente diferente ao que estão acostumados.

Como estamos falando praticamente de um ente da família, geralmente os donos preferem que seus bichinhos estejam o tempo todo em casa e bem acompanhados.

Nesse caso, você pode pedir a algum parente ou amigo para cuidar de seu pet.

Com certeza, quando estamos diante de uma viagem em que não seja possível levar seu cão, a primeira solução que vem à mente é tentar encontrar alguém de confiança que possa cuidar do animal em tempo integral e, se possível, que vá até a casa e assuma alguns cuidados.

E se essa pessoa for alguém que já tenha contato com o bichinho (como uma pessoa da família ou um amigo), menos o cãozinho irá e sentir! E por isso é melhor, mas nem sempre é possível.

levar seu cão
Casal na praia com um cachorrinho Shih-Tzu no colo. Crédito da foto: Freepik

2. Contrate um Pet Sitter particular

Levar seu cão: Bom, quando não for possível achar algum conhecido ou parente que possa ficar na sua casa cuidando de seu pet, busque por grupos de pessoas que cuidam de cachorros para os donos viajarem, por exemplo.

Nesses grupos, é possível ter acesso a um pet sitter que, muitas vezes, oferece atendimento gratuito, podendo ficar como morador da casa, enquanto o proprietário já está arrumando as malas para viajar.

Mas, atenção: esse profissional será responsável por manter a casa em funcionamento, garantindo a rotina do pet.

Por isso, é importante ficar atento se essa pessoa é qualificada, se tem boas referências e se inspira confiança.

Procure indicações ou sites especializados!

3. Busque site ou app que forneçam Pet Sitters

Levar seu cão: Uma das formas de contratar um pet sitter de forma mais tranquila e com segurança é utilizando sites e aplicativos que disponibilizam pessoas capacitadas e experientes.

E o que é melhor: já selecionadas pelas respectivas plataformas:

Levar seu cão: Uma das grandes soluções para quem tem dificuldade de encontrar algum conhecido que possa hospedar seu bichinho, é o DogHero, um aplicativo bem acessível, em que os donos se cadastram e inserem informações sobre seus pets.

Feito isso, o cliente irá procurar pelos chamados anfitriões que, também inscritos no aplicativo, estão disponíveis a receber e cuidar dos pets – em suas próprias casas.

O interessante é que a equipe DogHero é bem criteriosa na seleção desses anfitriões, garantindo, assim, maior confiabilidade ao serviço.

Comparada aos hotéis para cães e gatos, por exemplo, essa opção acaba saindo mais em conta, pois uma diária pode variar de R$20 a R$40, e o pagamento é feito via cartão de crédito.

Além disso, o dono pode acompanhar a rotina de seu pet por meio de vídeos e fotos que o anfitrião envia diariamente.

  • Pet Anjo

Levar seu cão: Outra opção interessante é a Pet Anjo, que também conta com pessoas criteriosamente selecionadas pelo site para ficarem com seu pet.

Trata-se de uma plataforma online, onde é possível contratar os chamados “Anjos de pets” que além de receber e cuidar dos animais em suas residências, também se disponibilizam a passear com eles.

4. Deixe seu pet na casa de um conhecido

Levar seu cão: Essa opção pode funcionar para quem possui cachorros, já que gatos, até mesmo por sua personalidade, acabam sendo mais independentes – muitas vezes, a visita de um cuidador ao longo da semana pode ser o suficiente.

Se você planeja deixar seu cachorro feliz hospedando-o na casa de um amigo (ou de um familiar), é interessante se certificar de que essa pessoa tenha afeição pelo animal.

Veja também se há a necessidade de atenção redobrada em relação ao local em que o dog vai ficar hospedado: se há piscina descoberta, escadarias, portão aberto ou produtos de limpeza no chão. Esses detalhes são importantes, pois evitam riscos à vida do animal.

5. Hospede seu cão em um hotelzinho

Levar seu cão: Como há no Brasil uma grande variedade de hotel para cachorro, é sempre interessante verificar como são as condições dos serviços oferecidos por esses estabelecimentos.

Ou seja, se a equipe é especializada e se a infraestrutura do local proporciona ao animal o conforto necessário para que ele não sinta tanta falta de seu dono.

Tudo isso pode ser feito a partir de visitas no estabelecimento e, se possível, levando seu pet junto.

É uma etapa importante, pois você verá de perto como os animais são cuidados, como os outros pets se comportam, além da higiene do local. Verifique tudo, inclusive se as pessoas são atenciosas com os animais!

Também é interessante saber como são realizadas as atividades e quais os cuidados principais com a alimentação.

Por fim, não deixe de perguntar se as informações sobre seu animal vão chegar até você por meio de telefone, e-mail ou chamada de vídeo ao vivo.

Os preços de hotéis para animais de estimação variam muito, em razão das localizações e classificações dos estabelecimentos.

levar seu cão
Mulher apontando para um mapa, com seu cão Daschund no colo. Eles estão dentro do carro. Crédito da foto: Freepik

Dicas para deixar seu pet feliz enquanto você viaja:

1. Certifique-se de que seu pet vai ter muito o que fazer

Levar seu cão: É importante garantir uma lista de brinquedos favoritos de seu pet, além de petiscos e objetos que possam deixar seu animal entretido.

Já nos hotéis de pet, muitos lugares já possuem alguns itens, como brinquedinhos, casinhas, etc mas é possível conversar com a administração local para que seja permitido levar os objetos que seu bichinho já está acostumado, como a caminha dele, algum brinquedo, entre outros.

2. Fale para o cuidador como é a rotina do animal

Levar seu cão: A comunicação é fundamental nesse momento! Uma vez tendo com quem deixar o cachorro quando viajar (seja um conhecido ou um pet sitter), a etapa seguinte é passar algumas informações sobre seu animal.

Isso é fundamental para que não ocorra nenhum incidente, como por exemplo: se o seu cão toma um remédio todos os dias, isso é fundamental. Ou se ele tem uma dieta específica, horários, necessidades especiais, etc.

A rotina para um animal doméstico é uma das pequenas coisas que mais importa a ele; seu amiguinho sabe que assim que você acorda o café da manhã será servido no lugar de sempre, que poderá ficar à vontade em seu canto favorito do sofá, ou então, sempre que quiser, irá brincar no quintal.

O mais importante é que ele saiba que há alguém por perto, pronto para lhe dar o amor e o afeto com que está acostumado.

3. Vai viajar e não pode levar seu cão? Tome esses cuidados!

  • Recolha qualquer parte solta de brinquedos próxima ao seu pet;
  • Mantenha ossos longe do animal;
  • Retire de perto de seu bichinho brinquedos de pelúcia – riscos de engasgamento;
  • Mantenha objetos fáceis de quebrar fora do alcance do animal;
  • Desconecte das tomadas fios de aparelhos eletrônicos – pets gostam de mastigar;
  • Mantenha as portas de banheiros e quartos fechadas;
  • Deixe a quantidade certa de ração;
  • Deixe em ordem o local do animal fazer xixi e cocô.
  • Se o seu pet faz uso de medicamentos, é necessário passar quais são os horários de administração desses remédios e verifique se o cuidador tem prática de aplicação dos mesmos.
  • Se seu pet for ficar na casa de algum conhecido ou anfitrião, faça a malinha, incluindo principais itens, como: pote de água e pote de ração, manta ou cobertor, bem como a quantidade suficiente de ração que o animal irá consumir, até a sua volta.

4. Não prolongue nem exagere na despedida com o pet

Levar seu cão: Independente se você vai deixar seu pet em casa, na residência de um amigo, pet sitter, anfitrião ou em um hotel, após passar todas as informações sobre seu bichinho, não resta mais nada, senão pegar as malas e partiu relaxar, concorda?

Então, na realidade, o melhor é se despedir de forma breve e sem muito exagero, pois isso pode deixar o bichinho ainda mais ansioso e com saudades.

Muitos tutores acabam falando excessivas palavras de conforto ao cão, além de muita afeição e carinho, acreditando que tudo ficará mais fácil, que o bichinho vai se sentir mais seguro e tranquilo, achando que seu dono logo estará de volta.

Mas, não é bem assim. Como esse tipo de comportamento acaba sendo algo incomum para um animal doméstico, ocorre aí uma confusão na cabecinha dele, trazendo-lhe ansiedade à medida que tenta entender o porquê dessa mudança de atitude por parte de seu dono.

Caso você vá fazer um mochilão e, deste modo, irá ficar longe de seu animal por algumas horas ou semanas, a dica é sempre manter a calma, se policiar quanto às suas ações e evitar transparecer demasiada preocupação no momento em que está a se despedir dele.

Isso vai ajudar seu pet a se sentir mais tranquilo, a deixar seu cachorro feliz mesmo diante de uma situação em que ele ficará sem você.

Levar seu cão – 5. Deixe seu perfume

Levar seu cão: Antes de viajar, coloque junto aos objetos de seu pet algumas peças de roupa com seu cheiro. Essa tática é excelente, pois seu perfume pode ajudar a tranquilizar seu bichinho, além de fazer com que ele não se sinta tão sozinho.

levar seu cão
Cachorro da raça Daschund sentado na janela de um carro vermelho. Crédito da foto: Freepik

Vai levar seu cão junto na viagem?

Levar seu cão: Se você optou por levar seu cão na viagem com você, é importante conferir as regras sobre transporte aéreo de animais de estimação na companhia que você irá viajar.

Antes de mais nada, temos que lembrar que cada viação tem suas regras própria e é importante falar diretamente com eles para ter certeza de que seu pet poderá te acompanhar nessa viagem.

Em geral, o check-in funciona da seguinte forma: você deverá ligar na central de atendimento e fazer sua reserva.

Animais de pequeno porte podem viajar acompanhados dos donos na cabine. Já os de grande porte devem ir no compartimento do avião.

O check-in no dia deve ser realizado normalmente, com uma hora de antecedência pelo menos.

Se o animal for com você na cabine, basta embarcar com ele após passar pelo balcão. Já para os que vão no bagageiro, é preciso despachar junto com as malas.

Não se preocupe: seu animal estará seguro no compartimento de malas e não irá sofrer nem um arranhão!

Porém, não recomendamos que você leve seu cão caso ele seja do grupo de cães braquicefálicos, pois estes possuem o focinho achatado que dificulta na respiração.

Alguns podem ficar com falta de ar durante e até ter ataques cardíacos, levando à falência.

Nesse caso, o melhor é deixar ele em uma das opções acima, como hotelzinho ou com um pet sitter.

Lembrando que as raças mais sensíveis são: Pug, Shih-Tzu, Buldogue, Lhasa Apso, Boxer, entre outros.

Vai viajar e não sabe se vai levar seu cão? Veja o que fazer!
Homem viajando com seu cão, que está na coleira. Crédito da foto: Freepik

Vai levar seu cão? Deixe a vacinação em dia

Levar seu cão: Mais uma vez, precisamos lembrar que toda viagem tem suas regras. Por exemplo: alguns países podem pedir mais vacinas ou comprovantes de saúde.

Nossa dica é que você procure a companhia com uma certa antecedência – pelo menos dois meses antes de embarcar.

Porém, para viagens no Brasil, já adiantamos que o seu bichinho terá que ter a vacina antirrábica em dia. O período de vacinação deve ser de ao menos 30 dias antes do embarque, até no máximo um ano.

Documentos necessários para viajar com animais

Levar seu cão: São muitos documentos que podem ser solicitados durante uma viagem, porém, os básicos costumam ser a Carteira de Vacinação em dia e assinada pelo veterinário e um atestado de saúde emitido pelo veterinário no período de 90 dias antes do embarque.

Para viagens internacionais, pode ser necessário o atestado de sorologia e até mesmo a implantação de um chip no animal.

Existem casos específicos onde será necessário que um agente da vigilância sanitária terá que atestar a saúde do PET.

Consulte sua agência de viagem e veja quais documentos serão pedidos.

Transporte de animais: Quais as regras?

Levar seu cão: As viagens de ônibus não diferem dos voos, embora o processo possa ser bem mais simples.

No geral, é preciso comprar uma passagem extra para o seu PET e apresentar a carteira de vacinação.

Para quem vai a outro país de ônibus, as regras continuam as mesmas e é preciso saber o que cada localidade exige.

Confira outras dicas antes de viajar com seu pet:

  • Não deixe de consultar um veterinário com muita antecedência. Seu animal pode precisar de vacinas e o tempo mínimo para elas fazerem efeitos é de 30 dias.
  • E caso não haja esse tempo, é possível que o pedido de viagem seja negado. Se antecipe!
  • Não é permitido dar nenhum tipo de remédio para o seu animal durante a viagem, por questões de segurança.
  • Embora seja comum haver pessoas que acreditem no poder dos soníferos, eles são um risco para os bichinhos, que podem sofrer com paradas cardíacas e outros problemas durante o trajeto.
  • Sempre converse com sua agência de viagens e verifique se o país que irá permite aquele animal com os documentos que tem em mãos.
  • Lembre-se que alguns exigem chips e outros laudos. Será preciso garantir que tudo estará em ordem até o dia da viagem.
  • Se o seu animal é pequeno, ele poderá viajar com você. Mas garanta que a caixinha de transporte seja confortável.
  • Ele não poderá sair dela durante a viagem! O recomendado é que ela tenha ao menos cinco centímetros acima da cabeça e que possa haver locomoção do animal durante o trajeto.
  • Para viagens mais longas, procure manter o bichinho calmo ou pergunte para a aeromoça se há alguém verificando os animais no bagageiro.
  • Embora tenhamos pena deles, o processo é muito criterioso e eles vão bem seguros – mesmo no compartimento.
  • Se você for viajar com mais de um animal, não terá jeito: eles deverão ir no bagageiro, mesmo que sejam pequenos.
  • Isso só irá mudar caso tenha mais alguém com você que possa se responsabilizar pelo animal.
levar seu cão
Cão sentado na janela do carro com expressão feliz. Crédito da foto: Freepik

Veja se o hotel que você vai ficar permite animais domésticos

Levar seu cão: Por fim, nossa última dica é: verifique antecipadamente se o lugar em que você irá se hospedar aceita animais. Veja antes esse detalhe para não ter nenhuma surpresa desagradável na hora!

Felizmente, hoje em dia muitos são pet friendly, isto é, que aceitam animais de estimação no estabelecimento. Então não será difícil achar um lugar que hospede você e seu pet!

Esperamos que suas dicas tenham te ajudado a pensar melhor no que fazer se for viajar e não puder levar seu cão, ou então se optar por levá-lo, a pensar em quais são as melhores maneiras de transportá-lo com segurança e tranquilidade!

 Agora que você já sabe o que fazer na viagem se não pode levar seu cão, leia também:

Até a próxima!

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here