Eutanásia: Sacrificar ou não o cachorro?

A eutanásia é um assunto muito delicado, realizada para sacrificar cães muito doentes que estejam sentindo muita dor e não tenham perspectiva de melhora, nem sempre a eutanásia é feita nesses casos, pois é uma decisão que deve ser tomada pelo tutor, a família humana do cão.

Nesse artigo tiramos algumas dúvidas sobre o assunto e te ajudamos a refletir a respeito, caso um dia precise decidir entre recorrer ou não ao procedimento. Esperamos que nenhum de nossos leitores precise passar por esse momento difícil.

O que é a eutanásia?

A palavra tem origem grega e significa boa morte ou morte sem sofrimento, que é exatamente o objetivo do procedimento, proporcionar uma morte mais rápida e indolor aos cãezinhos que estão sofrendo.

Como é feita a eutanásia?

Para realizar a eutanásia é dado um sedativo para o cão, para que ele relaxe, depois é dada uma injeção de forma intravenosa, com uma enorme dose de sedativos que faz o coração parar, a injeção é indolor e faz o cão relaxar até que falece, tudo em questão de segundos.

A maioria dos cães não reage à injeção, pois o primeiro sedativo serve para que não se assustem, podendo apenas apresentar incontinência ou um suspiro devido ao esvaziamento dos pulmões.

Quando a eutanásia é recomendada?

Alguns veterinários apenas apresentam a opção de fazer a eutanásia, enquanto outros a recomendam, mas tudo vai depender da situação de cada cão, geralmente a eutanásia é recomendada em casos que o cão não tem nenhuma perspectiva de melhora, quando tudo já foi feito e ele está apenas sentindo muita dor sem que nada possa ser feito por ele.

Caso sinta que seu veterinário não está fazendo todo o possível sinta-se livre para buscar a opinião de outros médicos veterinários sobre o quadro do seu cão, paralisia de alguma das patas, atrofia, ou doenças menores que possam ser tratadas, até mesmo o caso de um tumor que poderia ser retirado com cirurgia, não são casos em que a eutanásia é recomendada.

Aproveite para conferir nosso artigo sobre próteses e cadeiras de rodas para cães

Muitos cães vivem com cadeira de rodas e próteses e tem uma vida feliz e saudável, procure saber se a situação do seu cão realmente é irreversível, caso contrário ainda é possível lutar por ele.

Lembre-se que é uma decisão do tutor, mesmo sendo um cão da família, é necessário levar em consideração se aquela é a única saída, não condenamos, nem recomendamos a eutanásia, recomendamos que cada caso seja analisado e que a decisão seja tomada pelo tutor com base no que ainda pode ser feito pelo cão e no sofrimento que ele está passando.

Estar ou não com o cão na eutanásia?

Novamente a decisão é sua, se você conseguir ficar ao lado do seu cão passando carinho, amor, e conforto a ele em seu último momento, então é ótimo que seu cão possa estar com você nesse momento. Mas se você sentir que não vai conseguir se manter firme e que pode assustá-lo então recomendamos que não fique junto do cão, muitas pessoas reunidas falando e chorando junto dele também podem assustá-lo.

Aproveite para conferir nosso artigo sobre castração canina

Após a eutanásia

Depois da eutanásia, você pode optar por cremar o corpinho do seu cão, deixa-lo em um cemitério para cães, enterrá-lo no seu quintal ou até mesmo deixa-lo na clínica, tudo vai depender do que vai te deixar mais confortável. Recomendamos que tome essa decisão antes da eutanásia e se possível leve um amigo para te ajudar nesse momento tão difícil.

Muitas pessoas não entendem a dor de perder um amigo de quatro patas, infelizmente alguns seres humanos apenas os enxergam como um objeto que pertence as pessoas, e não entendem esse amor tão puro que os cães possuem, portanto, queira por perto alguém compreensível e que possa te ajudar nesse momento.

Separei mais esses conteúdos para você:

Guia de Adestramento Para Cães

Seu cão faz xixi no lugar errado, destróis o seu sofá e não te obedece? Conheça o Guia de Adestramento para cães. Informe seu nome e e-mail.

envelope
envelope

7 COMENTÁRIOS

    • É uma situação muito dificil, passei por ela, pois escolhi o que seria melhor para minha cadelinha. Ela teve cancêr e sobreviveu por cerca de dois anos, apos cirurgias e outros cuidados. Apesar da doença, vivia bem. Porém o cancer teve metástases e uma delas no mediastino, impedindo-a de respirar. Não havia mais o que fazer, o veterinário me disse que a partir de então ela estava sofrendo: retia muito líquido, inchou horrivelmente e a respiração ficou muito difícil, foi horrível. Optei pela eutanásia, que foi feita em nossa casa. Ela morreu nos meus braços, em paz. Foi doloroso, mas não poderia ter sido de outro modo. Achei melhor que a dor fosse apenas minha, não dela. Ela viveu 13 anos, 9 meses e 6 dias… Só me trouxe alegria, portanto, não seria justo deixá-la sofrendo uma vez que a situação era irreversível.

      • Passei por isso na sexta, me sinto péssima. Cancer de pele com metastase no osso, comeu toda a pele do rosto dela, fratura exposta que nunca mais se regeneraria ….muito triste.

  1. A minha cachorrinha está muito doente e amanhã levarei ela para fazer eutanásia. Já chorei horrores. Mas não aguento mais ver ela sofrer, me parte o coração. Gostaria que morresse naturalmente, mas não vai ser o caso. ???

  2. Dor imensa e que infinita….. precisei optar pela eutanasia mas sofro dia após dia… me sinto uma assassina… a falta dele (yorkshire de 15 anos, ganhado antes de completar 1 ano)… dói muito… É um filho adotivo…. amo muito… pesso perdão por escolher por ele…

  3. Meu cãozinho está passando por muito sofrimento e ainda não sei qual decisão tomar. Há uma semana já não come, não tem forças pra ficar em pé, chora a noite toda. Não quero o ver sofrendo assim, mas não sei se sou capaz de tomar uma decisão dessas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here