Coprofagia em cães: afinal de contas, o que é isso? Você já ouviu falar nesse termo? Confira abaixo do que se trata, além de quais são as causas e o que fazer para “curar” esse hábito um tanto estranho.

Esse hábito chamado coprofagia se refere ao ato de comer fezes. Além de tornar as lambidas que recebemos menos agradáveis, esse hábito também pode ser sintoma de algum problema de saúde.

Isso sem contar que, ao ingerir fezes de animais contaminados, seu pet ainda pode pegar doenças como giardíase, verminoses, entre outros.

Por isso, se o seu cachorro come as próprias fezes, não ignore essa situação! O melhor a fazer é investigar o que é coprofagia em cães e quais os motivos que o levam a fazer isso para, assim, buscar solução do problema.

Agora, vamos te explicar um pouco mais sobre esse assunto tão importante. Veja mais abaixo!

Coprofagia em cães: O que é, como funciona e quais as causas?
Cachorro branco e caramelo com vários rolos de papel higiênico. Fundo azul. Crédito da foto: Freepik

Coprofagia em cães – Por que meu cão come as próprias fezes?

Seu amigo tem o mau hábito de comer as próprias fezes? Pois é, apesar de causar estranhamento nos donos, essa condição é algo muito comum.

Ela impressiona e causa constrangimento para muitos donos, mas, apesar de recorrente, esse tipo de comportamento necessita de acompanhamento veterinário para que se possa fazer o tratamento adequado do animal.

Para que você possa entender o que é coprofagia, como funciona, quais causas e tratamentos, continue lendo o artigo a seguir!

Coprofagia em cães: O que é?

A palavra coprofagia deriva da junção dos termos em latim “copro” (que significa fezes) e “fagia” (que significa ingestão), e se caracteriza pelo hábito do cão comer as próprias fezes ou as fezes de outro animal.

Esse comportamento pode acontecer devido a vários motivos patológicos, comportamentais ou mesmo instintivos, visto que o cão não tem nojo das fezes como nós, seres humanos, e entendem elas como possíveis alimentos com grande volume de nutrientes.

É por isso que eles acabam indo bem próximo às fezes de outros animais na rua para sentir o cheiro.

Coprofagia em cães: O que é, como funciona e quais as causas?
Filhote de cachorro fazendo cocô em um gramado. Crédito da foto: Freepik

Coprofagia em cães: Quais as causas?

Não existe uma única causa para a coprofagia. Existem muitos fatores que levam o animal a desenvolver o distúrbio.

Ela pode ter origem tanto em fatores fisiológicos quanto comportamentais. Por isso, separamos as principais causas a seguir, que são:

Coprofagia em cães: Problemas Fisiológicos

Quando o animal apresenta problemas gastrointestinais ou digestivos, como insuficiência de produção de enzimas digestivas, e não consegue digerir alguns tipos de nutrientes, as fezes podem apresentar um aspecto visual atrativo para ele.

Do lado fisiológico, os motivos mais comuns dizem respeito à nutrição. Como exemplo, ela cita que cães com dietas inadequadas podem recorrer à coprofagia como forma de buscar mais nutrientes.

Da mesma maneira, cachorros com polifagia (apetite excessivo anormal) ou que estejam fazendo alguma dieta restritiva para perda de peso também podem apresentar o comportamento.

Coprofagia em cães – Verminose

A coprofagia também pode ser indício de verminose. Os parasitas presentes no intestino do animal consomem os nutrientes ingeridos e, para supri-los, o cão ingere as próprias fezes.

Coprofagia em cães – Alimentação problemática

Outras razões que podem causar o distúrbio estão relacionadas à alimentação do seu pet. Dietas com baixos níveis proteicos ou ricas em carboidratos e fibras contribuem para o desenvolvimento do distúrbio.

Além disso, notar um cachorro que come fezes, pode ser sinal de um problema de má- absorção, como, por exemplo, insuficiência hepática ou doenças intestinais.

Nessas situações, o pet pode precisar de nutrientes adicionais e buscar suplementação por meio da coprofagia. Por isso, é sempre importante investigar!

Outro fator é que se o cão passa muito tempo sem comer ou sente fome, ele se alimentará do que tiver à disposição que, na maioria dos casos, são as próprias fezes.

Coprofagia em cães
Cão branco e caramelo com a patinha levantada. Crédito da foto: Freepik

Coprofagia em cães: Problemas comportamentais

Já do ponto de vista comportamental, as causas são igualmente variadas. No entanto, uma das mais comuns é fazer isso para chamar a atenção do tutor. Isso mesmo, veja abaixo!

Necessidade de atenção

Muitos cães gostam de chamar a atenção de seus donos e descobrem que, se comerem suas próprias fezes, conseguirão atingir esse objetivo.

Ou seja, a atenção dada imediatamente após a ingestão das fezes, mesmo que negativa, pode estimular o comportamento.

Aliás, a atenção negativa pode estar por trás da coprofagia também de outra maneira.

Punição excessiva

Se o dono dá broncas exageradas frequentemente devido ao local onde o animal defeca, ele pode desenvolver a coprofagia para esconder as fezes e evitar a punição.

Tutores que utilizam técnicas de reforço negativo, como esfregar o focinho do pet nas fezes e dar broncas verbais, fazem com que ele associe a punição ao ato de defecar e não ir ao local.

Assim, seu amigo pode passar a ingerir as fezes a fim de escondê-las.

Coprofagia em cães – Ansiedade e estresse

Não são só os seres humanos que sofrem com os sintomas da ansiedade e do estresse. Os cãezinhos também podem apresentar doenças psicológicas, que têm como sintoma a coprofagia.

Um dos motivos mais comuns que causam medo e tristeza no animal é o fato de ficarem sozinhos por muito tempo ou serem mantidos em espaços extremamente pequenos e sem qualidades básicas para sobrevivência.

Coprofagia em cães – Organização do espaço

Quando o lugar de defecar do animal fica próximo ao local onde ele deve comer, brincar e dormir, pode haver uma confusão e maior propensão de desenvolvimento desse comportamento.

Coprofagia em cães – Sabor

Sabemos que não é normal cachorro comer fezes, porém, existe, uma causa bem chocante para essa atividade peculiar.

Alguns cães comem fezes porque gostam do cheiro, da textura e do sabor. Mas isso não é saudável e deve ser interrompido pelo tutor. Vamos explicar como mais abaixo!

Coprofagia em cães – Maternidade

Quando uma fêmea dá a luz aos seus filhotes, o hábito de comer o cocô da cria é normal, pois ela quer deixar o ninho limpo e evitar que predadores sejam atraídos pelo odor das fezes.

Neste caso, a coprofagia é transitória e faz parte dos instintos naturais do animal.

Coprofagia em cães – Infância e brincadeira

Quando filhote, o cão é curioso, gosta de brincar e descobrir o mundo com a boca. Por isso, ele acaba comendo terra, gravetos e as próprias fezes.

Geralmente, essa é uma fase passageira. Mas, mesmo depois de adulto, se o animal se sentir entediado, pode usar as fezes como brinquedo para passar o tempo e ingeri-las.

Dono recolhendo com uma sacola as fezes de seu cão, em um quintal com grama. Crédito da foto: Freepik

Coprofagia em cães
Dono recolhendo com uma sacola as fezes de seu cão, em um quintal com grama. Crédito da foto: Freepik

Coprofagia em cães tem a ver com a raça?

Ainda não há pesquisas conclusivas a respeito do assunto. Mas, segundo um estudo publicado no periódico “Veterinary Medicine and Science”, realizado pelos pesquisadores Benjamin e Lynette Hart, da Universidade da Califórnia, algumas raças estão mais propensas a comer as próprias fezes.

Entre elas estão os Hounds e Terriers. Os cães das raças Shih-Tzu, Yorkshite, Spitz Alemão e Lhasa-Apso estão entre os pets que apresentam esse comportamento.

Ou seja, na realidade brasileira, as raças mais comumente a ter esses hábitos são as  pequenas. Já os poodles são considerados os menos inclinados a fazer isso.

Apesar disso, os cães de maior porte e até mesmo os gatos também possam apresentar o quadro.

Como tratar a coprofagia em cães?

Assim que perceber o distúrbio, o dono deve procurar ajuda de um médico veterinário de confiança para que ele possa examinar o animal e descobrir o motivo que o está levando ao hábito de comer fezes.

Depois de identificada a razão da coprofagia, ele indicará medicamentos adequados no caso de patologias ou proporá mudanças de hábitos essenciais para acabar com o problema.

Apesar de natural, é preciso ter o cuidado de buscar ajuda, visto que as fezes podem ser fonte de vírus, bactérias e vermes, comprometendo a saúde do animal.

Algumas das principais medidas propostas para tratar a coprofagia em cães são:

  • Ofereça alimentação balanceada e própria para cães para evitar falta de nutrientes ou excesso de fibras e carboidratos nas fezes. Para escolher a melhor ração, siga as orientações do seu veterinário;
  • Dê comida ao animal em horários regulares e na frequência recomendada pelo veterinário para evitar que ele passe fome. A quantidade pode variar conforme a idade, porte do animal e tipo de ração;
  • Disponibilize um local adequado para deixar a ração do cãozinho, longe do lugar onde ele usa como banheiro e cantinho do descanso e lazer;
  • Não dê broncas excessivas quando o animal fizer cocô no local errado, para que ele não desenvolva a coprofagia por medo de ser descoberto;
  • Também não grite ou bata no cão quando ele comer as fezes, pois o pet não entenderá a bronca e ficará ainda mais confuso, podendo aumentar o hábito indesejado;
  • Não deixe seu pet sozinho por muito tempo. Quando for viajar, procure alguém que possa ficar com ele, ou deixe-o em um hotel para cães;
  • Dê doses diárias de atenção, amor e carinho para que o bichinho se sinta amado e acolhido;
  • Além disso, brincar por alguns minutos e levá-lo para passear são atitudes simples que fazem toda a diferença para a saúde dele;
  • Disponibilize brinquedos para cachorro como bolas, bichinhos, dentre outros acessórios que podem ser adquiridos em qualquer petshop, para que o animal tenha com o que brincar e se entreter;
  • Recolha rapidamente as fezes do cão, deixando sempre o quintal e casa limpa, mas evite retirá-las na frente do animal, pois ele pode achar que é uma competição de quem pega o cocô primeiro;
  • Procure regularmente o veterinário para que ele possa fazer exames e acompanhamento periódico da saúde do seu pet.

Conhecendo as principais formas de evitar a coprofagia em cães, fica muito mais fácil evitar o problema e manter a saúde do seu pet sempre em dia.

Agora que você já sabe tudo sobre dor e inflamação nos cachorros, veja também:

Separei mais esses conteúdos para você:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here